quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

PAI DE PAES E ESPOSA DE CABRAL, ADVOGADOS BEM SUCEDIDOS



O Governador Sérgio Cabral chama a esposa de "Riqueza".
Primeiro surgiram as denúncias sobre a fortuna do casal Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo que poderia ter relação com o fato do escritório de advogacia, que tem como sócia a esposa do governador, ter contratos milionários com concessionários de serviço público que atuam no governo Cabral. Na época o governador se defendeu afirmando que a esposa era uma advogada bem sucedida. Agora é o fato do pai de Eduardo Paes ser um advogado bem sucedido, o motivo alegado pelo prefeito para justificar a fortuna da família no Panamá.
Verdade se diga, não faltam advogados bem sucedidos no Rio de Janeiro, mas a desculpa idêntica apresentada pelos gestores do estado e do município, ambos do PMDB, os torna ainda mais parecidos.
A Revista Veja publicou matéria sobre a fortuna da família Cabral, destacando o aumento dos contratos do escritório com as concessionárias exatamente no período do governo Cabral:
"VEJA 
A primeira-dama do Rio, Adriana Ancelmo, ganha quase dez vezes o salário do marido no escritório contratado por concessionárias e prestadoras de serviço para o estado 
Leslie Leitão e Helena Borges 
O escritório Coelho & Ancelmo Advogados Associados chama atenção no Rio de Janeiro por duas características. A primeira é ter experimentado nos últimos seis anos um crescimento espetacular. De três profissionais e 500 processos em carteira, saltou para um empreendimento com vinte advogados e cerca de 10 000 ações. A receita do escritório era de 2,1 milhões de reais em 2006 e foi para 9,5 milhões no ano passado. A segunda característica a ressaltar é o fato de a banca ter como sócia-proprietária a advogada Adriana Ancelmo, de 43 anos, mulher de Sérgio Cabral, governador do Rio de Janeiro, a quem ele trata pelo apelido de Riqueza. Adriana tem ganhos mensais de 184 000 reais por sua participação. E essa seria apenas uma bela história de um jovem casal bem-sucedido, não fosse uma terceira circunstância: pode não ser mera coincidência o progresso da banca durante os mandatos de Cabral como governador do estado. 
O elemento mais forte de suspeição deriva do fato de que, antes de Cabral tomar posse, o escritório de Adriana tinha apenas 2% de seu faturamento vindo de concessionárias e prestadoras de serviço ao governo do Rio. Agora, 60% da receita vem de honorários recebidos por serviços prestados a empresas que, direta ou indiretamente, dependem de dinheiro público guardado no cofre do qual Cabral tem a chave. Ontem, o Jornal do Brasil publicou matéria sobre a promessa do deputado federal Anthony Garotinho (PR) cobrar da Polícia Federal investigaçaõ sobre as empresas da família do prefeito: 
JORNAL DO BRASIL 
Garotinho cobra investigação federal sobre contas da família de Paes no Panamá 
O deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) prometeu entrar na justiça contra o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), por causa de uma declaração do peemedebista ao jornal Folha de S.Paulo na semana passada. Após a publicação, na última quinta-feira, no site de notícias Brasil 247 de duas contas no Panamá, país considerado paraíso fiscal, com capital da ordem de R$ 20 milhões da família do prefeito, Paes respondeu atacando o ex-governador do Rio. "O meu pai é um advogado muito bem sucedido, ao contrário da família Garotinho que enriqueceu na política" (Leia mais).
A foto que ilustra o artigo é de Vera Donato (Estadão).

Nenhum comentário:

Postar um comentário