segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

DELEGADO É A NOVA VÍTIMA DA "PACIFICAÇÃO"



A notícia é muito ruim, o delegado da Polícia Civil Rubens Eduardo da Costa Campos foi vítima de um assalto na Tijuca, reagiu e acabou baleado. O seu estado é grave, segundo o noticiário. A senhora que o acompanhava também foi baleada.
As ruas do Rio de Janeiro estão inseguras, essa é agrande verdade.
É preciso repensar com urgência a forma como está sendo gerida a segurança pública no Rio de Janeiro, algo que não pode se resumir a colocação de quase 10.000 PMs em comunidades carentes na Capital, abandonando as ruas e os outros 91 municípios que integram o estado.
O povo não vai ter segurança por meio de manchetes da imprensa que supervalorizaram as UPPs, isso só serve para alavancar campanhas políticas. O povo precisa de policiamento ostensivo preventivo nas comunidades e nas ruas, isso na Capital e em todos os municípios do estado do Rio de Janeiro.
Eu fico fazendo a minha parte na tentativa de promover as mudanças que são indispensáveis para termos um Rio seguro de verdade me não apenas no papel dos jornais e revistas, assim como, nos programas televisivos. É hora de elevar nosso pensamento à Deus e pedir pela recuperação do delegado, a mais nova vítima da "pacificação¨ promovida pelo governador Sérgio Cabral e pelo secretário de segurança Beltrame.
O jornal O Dia noticiou:
"JORNAL O DIA
Delegado baleado respira por aparelhos e está em estado gravíssimo
22/12/2013
 Delegado baleado respira por aparelhos e está em estado gravíssimo Rubens Eduardo da Costa Campos reagiu a um assalto na Rua Dulce, na Tijuca
DIEGO VALDEVINO
Rio -O delegado da Polícia Civil Rubem Eduardo da Costa Campos, de 55 anos, foi baleado três vezes — na cabeça, no ombro e na coxa direita — no sábado à noite na Tijuca. De acordo com testemunhas, o policial reagiu a uma tentativa de assalto e feriu o assaltante, que, mesmo assim, conseguiu fugir. Mônica Braga Maia, que estava no banco do carona do carro do policial, também foi baleada, na barriga, mas, segundo os médicos, não corre risco de vida. Até a noite de ontem, o estado de saúde do delegado era considerado gravíssimo.
O crime aconteceu na Rua Dulce, por volta das 21h30. Campos, que trabalha na Delegacia Supervisora, e Mônica foram levados ao Hospital Souza Aguiar, no Centro e estão no Centro de Tratamento Intensivo (CTI). Ele respira com a ajuda de aparelho artificial; ela foi operada e seu quadro é considerado estável" (Leia mais).

Um comentário:

  1. O delegado não foi vítima de assalto, foi atacado em represália a sua atuação contra milicianos. é crime de máfia. Vamos falar a verdade para a população.

    ResponderExcluir