Depois de suspenso, Bombeiros e Justiça liberam o Rock in Rio



Após vistoria realizada no fim da tarde desta quarta-feira pelo Corpo de Bombeiros, com a presença de um oficial de justiça, a 2ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro liberou a Cidade do Rock para os shows restantes do Rock in Rio. O festival recomeça nesta quinta-feira e vai até domingo. Mais cedo, a juíza Márcia Cunha de Araújo Carvalho, da mesma vara, aceitou o pedido de liminar do Ministério Público Estadual e determinou que a segunda semana do evento só poderia acontecer caso a organização comprovasse que as irregularidades apontadas pelo órgão e pelo Corpo de Bombeiros foram sanadas, o que foi constatado após a vistoria.

No texto, a juíza determina que os organizadores têm de garantir "a disponibilização de recursos mínimos exigidos para emergências, especialmente as referentes aos postos médicos e ambulâncias". A multa diária em caso de desobediência é de R$ 10 milhões.
Na ação, o Ministério Público Estadual pediu a suspensão do evento depois de ter vistoriado a área da Cidade do Rock, em Jacarepaguá, na companhia do Corpo de Bombeiros, durante o primeiro fim de semana do evento. De acordo com o laudo oficial, o número de médicos, leitos, suprimentos e ambulâncias era insuficiente para atender o público e não estaria de acordo com o exigido aos organizadores, o que já teria sido sanado.
O Corpo de Bombeiros encontrou ainda problemas em áreas de escape que seriam utilizadas pelas ambulâncias em caso de emergência. Os fiscais encontraram uma saída de emergência, na direção da Roda Gigante, trancada com um cadeado. Em outra, a abertura do portão era quase impossível porque ele parecia emperrado.
No terceiro dia de apresentações, os fiscais encontraram um problema de sinalização: em um painel eletrônico, uma seta mandava o público para um lado, mas um boneco corria na direção contrária.
Alvará de funcionamento
O alvará de funcionamento da Cidade do Rock foi emitido pela secretaria municipal de Ordem Pública no último dia 13. No entanto, a secretaria explica que o documento tem apenas a função de liberar a realização de atividades econômicas no espaço, sem qualquer relação com a segurança do ambiente. Para emissão do documento, a secretaria recebeu laudos de outros órgãos, como do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, da Cet-Rio, da Rioluz e da secretaria de Fazenda e Patrimônio do Município.
Em resposta ao GLOBO, o Corpo de Bombeiros afirmou, por nota, que realiza vistorias desde o início da montagem do espaço, e que apontou apenas pendências de teor técnico, já de conhecimento dos organizadores.

O Rock in Rio, que teve seus primeiros shows em 13, 14 e 15 de setembro, tem previsão de receber público de 85 mil pessoas por dia. As próximas apresentações acontecem de quinta a domingo, tendo como artistas principais Metallica, Bon Jovi, Bruce Springsteen e Iron Maiden.

Fonte: O Globo


Comentários

Postagens mais visitadas