Manifestantes se unem em novo protesto em frente à Câmara do Rio

CPI dos Ônibus marca reunião para quinta-feira depois de avaliar pautas dos manifestantes


Centenas de manifestantes que prestavam apoio aos nove ocupantes da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, na noite desta segunda-feira (12/08), receberam a adesão de participantes do protesto "Fora Cabral", que teve início na Candelária. A Câmara anunciou que a audiência pública da CPI dos Ônibus, que seria realizada nesta terça (13/08), foi cancelada. O pedido foi feito pelo vereador Eliomar Coelho (Psol), autor do requerimento da CPI, que, para os manifestantes, deveria ser o presidente da comissão. 
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi criada para investigar a implantação, fiscalização e operação do serviço público de transporte coletivo da cidade do Rio de Janeiro. De acordo com a Câmara, os membros da CPI vão realizar uma reunião interna na próxima quinta-feira (15/08), para discutir a agenda de trabalho. A proposta foi apresentada na tarde desta segunda-feira durante reunião com os vereadores da Casa para discutir a pauta de reivindicações encaminhadas pela Comissão de Manifestantes.

1 / 16
De acordo com o estudante identificado como Felipe, que colaborava durante o dia com a arrecadação de assinaturas e verba para alimentação dos ocupantes em frente à Câmara, os vereadores Eliomar Coelho e Renato Cinco compareceram ao protesto para prestar solidariedade ao grupo. Cerca de mil assinaturas foram obtidas apenas nesta segunda-feira, ele ressaltou.
Os ocupantes do plenário da Casa Legislativa afirmam que só sairão se um conjunto de nove reivindicações começar a ser atendida. Entre os pleitos, está a troca de comando da CPI dos Ônibus. O vereador Domingos Brazão (PMDB) foi escolhido presidente da comissão e os manifestantes exigem que o comando seja passado a Eliomar Coelho, que propôs a CPI. Coelho alega que houve falhas na votação para definir a composição da comissão, que precisam ser corrigidas. 
Eliomar Coelho pediu o cancelamento da reunião desta terça, de acordo com nota da Câmara, alegando que não foi avisado com antecedência e que não obteve documentação suficiente para participação na oitiva da CPI.
Os manifestantes ocupam o plenário desde a última sexta-feira e, por isso, reforça a nota da Câmara, a segurança do Legislativo Carioca está sob a responsabilidade da Polícia Militar, que mantém o prédio fechado.
Nesta terça haverá expediente normal na Câmara do Rio, com sessão legislativa para discussão dos projetos de lei em pauta. Os manifestantes que ocupam o plenário, afirma a nota, serão transferidos para outro espaço da Casa.
Fonte: JB

Comentários

Postagens mais visitadas