RESPEITO É BOM ! POR ISSO TAMBÉM ESTAMOS COBRANDO!



No dia 26 de abril deste ano, nosso companheiro Cabo PM Alonsimar, Vereador do Município de Campos dos Goytacazes, sendo um dos  representantes do  movimento reivindicatório, fortemente levantado também na PMERJ no ano passado, principalmente no interior do nosso Estado, estava em uma de suas frequentes visitas aos companheiros policiais nos quarteis, no 36º BPM em Santo Antônio de Pádua, quando abordado foi no interior do quartel abruptamente pelo Major PM Carlos. Este Major de forma desrespeitosa e truculenta, desferiu palavras de repúdio a fim de depreciá-lo, mesmo sabendo que não se tratava somente de um praça da reserva da instituição, mas também um parlamentar respeitável eleito pela classe.

Lamentável a atitude deste oficial, que não desrespeitou apenas o Vereador, mas a todos os policias e cidadãos representados pelo mesmo.
O caso foi encaminhado à 6º Delegacia de Polícia Judiciária Militar, pelo Vereador Cabo Alonsimar, e nós cobraremos do comandante da PMERJ informações acerca do desfecho da respectiva apuração, tendo em vista a comunicação formal elaborada pelo parlamentar no dia 30 de abril na 6º DPJM, que informou a corregedoria da PMERJ no dia 7 de maio através do ofício nº 308/2013.

 Segue abaixo o nosso pedido de informações destinado ao comandante da polícia Militar Coronel Edir Ribeiro Costa Filho.



Comentários

  1. Infelizmente nada vai acontecer pois tanto na PMERJ quanto no CBMERJ só se pune quando há interesse em punir !! No caso do Tenente Coronel BM Jarbas, que teve problemas de relacionamento com praças do 21 GBM - Itaperuna, nada vai acontecer pois o Senhor Coronel BM Corregedor Interno discordou do Encarregado do IPM referente ao episódio, Coronel BM Sila, que havia visto indício de cometimento de crime por parte do Tenente Coronel BM Jarbas, e avocou para a sua pessoa (Corregedor Interno) a decisão de apenas punir disciplinarmente o Tenente Coronel BM Jarbas. Essa decisão está publicada no Boletim Reservado publicado no dia 07 de junho de 2013. Não sei se a decisão do Corregedor está correta e nem cabe a mim questionar sua decisão, mas confesso que ouvi por conta de curiosidade em saber o que houve de fato, muitos testemunhos contrários a conduta do Tenente Coronel BM Jarbas, testemunhos esses dados tanto por Oficiais e também por Praças.

    ResponderExcluir

Postar um comentário