Multidão revive 'Diretas Já'

Estimativas vão de 300 mil a um milhão de pessoas ocupando toda a Presidente Vargas




Rio - Há quase 30 anos, desde o histórico comício pelas Diretas Já, o Centro do Rio de Janeiro não via tantas pessoas reunidas para lutar pela democracia. Um milhão de cariocas marchou pela Avenida Presidente Vargas, empunhando cartazes que refletiam sua insatisfação com as mazelas sociais.



Mas, ao contrário da passeata de 1984, o protesto desta quinta-feira teve um final marcado por cenas de enfrentamento entre policiais e grupos de manifestantes, em frente à sede da prefeitura.

Com a vitória da mobilização popular na redução das passagens, muitos resolveram aderir à passeata ontem. O que se via nas ruas era a mistura de pessoas lutando por causas diversas, como educação, saúde, fim do preconceito contra homossexuais e os gastos excessivos com os grandes eventos.


O mesmo cenário, com novas cores e aspirações políticas: manifestantes ocuparam nesta toda a extensão da Presidente Vargas, como no histórico Comício das Diretas
Foto:  Alexandre Brum / Agência O Dia
Representantes de partidos com bandeiras cederam às pressões dos apartidários, que pediam a retirada de material de campanha.

A concentração começou ainda no meio da tarde, em frente à Igreja da Candelária. Muitas pessoas levaram seus filhos. “Eles são pequenos ainda, mas vão lembrar disso para sempre. É a História sentida na pele”, disse Adriana Passos, 31 anos, que levou os filhos, um de 7 anos e outro de 11 meses. Outro que levou a família foi o cabo Benevonuto Daciolo, que liderou a greve dos bombeiros há dois anos. 

Comício das Diretas, em abril de 1984: avenida voltou ontem a ser palco de intensa mobilização popular
Foto:  Banco de imagens
“Mais de 500 bombeiros aderiram, muitos sem camisa, para não chamar a atenção”. 
Depois de participar ativamente do comício das Diretas, o advogado Francisco Pio Borges, 62 anos, voltou às ruas. “Acho fundamental apoiar os jovens, para que eles aprendam desde cedo a lutar por um futuro melhor”, disse ele, acompanhado da mulher.

Aplausos das janelas e Hino Nacional

Por duas horas, a manifestação foi pacífica. Das janelas de prédios, pessoas apoiavam o movimento, estendendo bandeiras do Brasil e aplaudindo os manifestantes. A maioria dos participantes pedia que todos mantivessem a calma e que o ato fosse de paz.

Em frente à Central do Brasil, a multidão cantou o Hino Nacional em coro emocionante. Está marcado um novo ato no Rio no dia 30, no jogo final da Copa das Confederações, no Maracanã.

Neste sábado, em Nova Iguaçu, haverá ato público. O comandante do 20º BPM (Mesquita), Max Fernandes, disse que escalou cerca de 200 policiais para garantir a ordem pública.

Fone: O Dia


Lindo demais! Emocionante! Uma caminhada muito especial pela Presidente Vargas, uma aula de cidadania, união popular e democracia, que o Governo mais uma vez duramente tentou reprimir através da Polícia Militar. Truculenta, nos lançaram bombas de gás, explosões eram constantes, tiros, choro, desespero em alguns momentos.

Não conseguirão calar o povo, a voz da maioria, aprisionar a democracia. Para orgulho de todos nós brasileiros, o que foi ouvido por meio dos gritos de ordem, é que iremos avançar, a luta continuará, contra as maracutaias, contra a injustiça.

Acreditamos que em breve o povo estará comemorando outras vitórias, conquistas históricas de um povo valente. 

TODOS JUNTOS VAMOS 
PRA FRENTE BRASIL BRASIL
SALVE ESSA NAÇÃO!



    Comentários

    1. GOSTEI MUITO.É ESSENCIAL ESSA UNIÃO.POR OUTRO LADO TAMBÉM SERVIU PARA MOSTRAR O DESPREPARO DA POLÍCIA MILITAR QUE,A EXEMPLO DO NOSSO GOVERNADOR, NÃO SABE DISTINGUIR O VANDALO DO MANIFESTANTE.ENSINO SUPERIOR PARA POLICIAIS,ESSE É O CAMINHO!

      ResponderExcluir

    Postar um comentário

    Postagens mais visitadas