domingo, 30 de junho de 2013

Turistas entram na onda dos protestos

Manifestações no Rio de Janeiro atraem estrangeiros, que elogiam a mobilização popular, apoiam as reivindicações levantadas e criticam atos de vandalismo

CONSTANÇA REZENDE
Rio - Nada de Pão de Açúcar, Corcovado ou Santa Teresa. Em dia de manifestação, estrangeiros têm trocado os tradicionais pontos turísticos do Rio de Janeiro pelas passeatas. A luta contra a corrupção e por mais investimentos nas áreas de saúde, transporte e educação foi apontada pelos turistas como o motivo mais forte para também saírem às ruas.
A sueca Frida Nilsson,de 26 anos, interrompeu seu roteiro de férias no Brasil para engrossar o ato de quinta-feira, na Candelária: “Fiquei sabendo pelo Facebook e achei legítimos os protestos contra corrupção, altas tarifas de transportes e gastos excessivos com a Copa do Mundo”.
Finlandeses e canadenses, levados por amigos brasileiros, reforçam o coro da cidadania no Centro do Rio
Foto:  Divulgação
Os franceses Julian Maza, 31, e Guillaume Voelckel,32, também foram para a manifestação, mas fizeram críticas. “Em Paris, há muitas manifestações, mas ninguém cobre o rosto”, disse o professor de Educação Física Julian.

A professora universitária americana Emily Peine, de 37 anos, também foi à manifestação para brigar por melhorias no Brasil, em setores estratégicos como transportes. “Os impostos brasileiros são muito altos em comparação dos investimentos feitos. Estive em algumas áreas rurais para pesquisar a agricultura brasileira e vi que as estradas estão péssimas”, argumentou a turista americana.

A portuguesa Flavia Fonseca, 22, e a canadense Gabrielle Desrosiers, 21, estudantes de Serviço Social, também resolveram se juntar aos brasileiros nas reivindicações, mas ficaram receosas com o forte aparato policial. “Tem mais policiais do que manifestantes, o que é uma forma de intimidar, desrespeitando o direito de manifestar. Estamos com medo de sermos presas e deportadas, já que os policiais estão prendendo todo mundo sem distinção”, disse Gabrielle, assustada.

Embaixadas demonstram preocupação
Apesar da grande adesão de turistas às manifestações, embaixadas têm feito alerta a seus cidadãos para evitar os protestos. A Embaixada dos EUA em Brasília frisou que, embora a maior parte dos atos tenha caráter pacífico, polícia e manifestantes foram feridos em confrontos.

“A resposta da Segurança tem sido dosada, mas a polícia tem usado táticas de controle de multidões, incluindo bombas de gás lacrimogêneo e unidades da cavalaria”, informam autoridades americanas.

O Ministério de Assuntos Exteriores da Espanha informou que “foram constatados incidentes violentos liderados por grupos minoritários” e recomendou a consulta a jornais para evitar áreas de confronto.

Cancelamento chega a 27,5%
A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) do Rio estimou que entre 17 e 24 de junho, período com manifestações, 27,57% das reservas foram canceladas no Centro, área onde houve grandes concentrações de pessoas.
O gerente do Albergue Happy Rio, em Copacabana, Neto Oliveira, levou grupo de turistas para a manifestação de segunda-feira. Ele disse que muitos viram nos eventos um ato cultural e, por isso, quiseram assistir. “Eles acharam impressionante, principalmente, a quantidade de gente”. Gerente do El Misti Hostel, no mesmo bairro, Dario Alvares disse que hóspedes pediram informações sobre a segurança das manifestações.

Fonte: O Dia

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Manifestação por tarifa zero termina em clima de paz no Rio


Cerca de cinco mil pessoas caminharam até a Cinelândia.
Diversos movimentos sociais participaram da passeata.



Manifestação no Centro do Rio nesta quinta (27) (Foto: Rudy Trindade/Frame/Agência O Globo)Manifestação no Centro do Rio nesta quinta (27) (Foto: Rudy Trindade/Frame/Agência O Globo)
Em clima pacífico e sem cenas de vandalismo, assim terninou o protesto, nesta quinta-feira (27), que pedia a tarifa zero e melhorias no transporte público doRio de Janeiro. Cerca de cinco mil pessoas participaram da manifestação, que teve início na Candelária e seguiu em direção à Cinelândia.
Os participantes pararam na sede da Federação das Empresas de Transporte (Fetranspor), na Rua da Assembleia, no Centro do Rio. No local, eles gritaram palavras de ordem, mas, no entanto não foram recebidos por nenhuma autoridade.
Protestos no Rio  (Foto: Reprodução Globo News)Protestos no Rio (Foto: Reprodução Globo News)
A Polícia Militar disponibilizou um efetivo de 1.400 homens para o ato, que também foi marcado pelas redes sociais.
Os PMs se dividiram nas escadarias da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e no prédio da Fetranspor. Durante todo o percurso, apenas dois incidentes foram registrados. Um manifestante teria jogado uma bomba caseira, quando o grupo se concentrava na Cinelândia.
Um outro barulho de bomba foi ouvido na Avenida Rio Branco, na esquina da Rua Nilo Peçanha. Apesar do registro, não houve tumulto e nem correria entre os manifestantes.
Participaram da manifestação, diversos grupos e movimentos sociais. Os indígenas que moravam no antigo Museu do Índio, no Maracanã, na Zona Norte da cidade, também participaram do protesto. Em março, eles foram obrigados a sair do imóvel, após uma decisão judicial que devolveu o espaço ao governo do estado. No local será construído um anexo ao estádio do Maracanã, conforme o cronograma de obras para a Copa do Mundo e as Olimpíadas.
Apesar do caráter pacífico do protesto, comerciantes fecharam as portas mais cedo e agências bancárias protegeram as fachadas usando tapumes, com medo de vandalismo. A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), cujo prédio foi depredado por baderneiros em manifestação do dia (17), teve o policiamento reforçado. Policiais militares, sobretudo mulheres, entregavam panfletos pedindo paz aos manifestantes.
Durante o protesto, importantes vias, como as avenidas Presidente Vargas e Rio Branco foram interditadas. Todas as ruas foram liberadas antes das 21h30, de acordo com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio.
Fonte: G1

MANSOS, PACÍFICOS E ORDEIROS! LINDO DEMAIS!

Incêndio atinge galpão e loja na Via Dutra

Bombeiros de nove quartéis combateram o incêndio, que não deixou vítimas


Bombeiros de nove quartéis foram chamados na manhã desta sexta (28/06) para controlar um incêndio que atingiu um galpão e uma loja de eletrônicos usados, localizados às margens da Rodovia Presidente Dutra, na altura de São João de Meriti.
As chamas começaram por volta das cinco horas da manhã e provocaram a interdição do acostamento da pista sentido São Paulo. Somente depois de duas horas que os bombeiros conseguiram combater o fogo. O teto do galpão desabou. Não houve vítimas.

Fonte: JB

Vidas alheias e riquezas salvar! 

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Reunião "mandrake" de Cabral revolta manifestantes que estão no Leblon

Grupo que se reuniu com governador protagonizou papelão nesta quinta-feira



A reunião de Sérgio Cabral com os manifestantes que "supostamente representavam" os que estão acampados naorla do Leblon, em frente à casa do Governador, na rua Aristides Spínola, se transformou em um verdadeiro papelão nesta quinta-feira(27). Esse grupo, formado no sábado passado, foi desautorizado a falar em nome dos que estão acampados.
Enquanto Cabral se reunia com os supostos representantes dos manifestantes, parte do grupo que realmente está acampado na Avenida Delfim Moreira ficou de fora da reunião e sequer puderam entrar no Palácio Guanabara porque não foram autorizados. Ao final da reunião, o grupo dos "supostos representantes" não informou e nem esclareceu o que foi discutido com o governador. Pediram apenas para que as perguntas fossem encaminhadas a uma rede social que posteriormente seriam respondidas. Não houve, portanto, um diálogo com os reais representantes do movimento.
"Os que vieram aqui até o Palácio Guanabara não nos representam. Eles são infiltrados para diluir o movimento. Esse grupo que veio aqui hoje veio conversar com o governador sem nenhuma autorização dos 35 que estão acampados na Delfim Moreira. Foram dissimulados e querem enganar a todos", disse Vinícius Fragoso, ator e um dos porta-vozes do movimento Ocupa Cabral. "Não ficou nada formalizado, e eles ainda saíram de lá dizendo que aquela luta tinha acabado, que aquela não era uma luta do povo. Que era um movimento de alguns jovens imbecis, e nós não somos nada disso. Essas pessoas oportunistas que vieram falar com o governador hoje não falam pela gente de forma alguma. Foram contraditórios em tudo que o movimento pedia", declarou Fragoso, que deixou claro ainda que o movimento quer se reunir com o governador. "Mas só quando tivermos todas as pautas definidas", finalizou.
O grupo que conversou a portas fechadas com Cabral e secretários nessa quinta tem pelo menos três nomes divulgados: Juliana Medeiros, Sven Waddington e o líder, Eduardo oliveira, que protagonizou um momento inesperado ao dizer aos jornalistas o seguinte texto, praticamente decorada:
Os "supostos representantes" foram desautorizados pelos reais representantes do movimento Oucpa Cabral que estão acampados em frente à casa do governador desde sexta-feira
Os "supostos representantes" foram desautorizados pelos reais representantes do movimento Oucpa Cabral que estão acampados em frente à casa do governador desde sexta-feira
"O nome do nosso grupo é Somos o Brasil. Nós não estamos aqui para divulgar a nossa voz, estamos aqui para fazer uma ponte entre todos que tem algo para falar o governo. Se vocês tem alguma pergunta, que façam ou no Facebook ou no Website. Nesse primeiro momento, só reivindicamos o controle das manifestações e a segurança, pois a maioria das pessoas não está se sentindo segura em se manifestar", disse Eduardo, representante dos "supostos". Ao ser perguntado sobre as pautas que haviam sido encaminhadas ao governador, o cabeça dos "supostos" disse que a pauta ainda seria feita:
"Estamos dividindo em células em todo o estado. A pauta ainda está sendo executada. Nós viemos abrir um canal de comunicação com o governador. Sem mais declarações, obrigado", se despediu Eduardo, para em seguida sair do recinto sob olhares incrédulos.
Manifestantes do lado de fora
Enquanto a reunião "mandrake" acontecia a portas fechadas, os verdadeiros manifestantes que estão nos arredores da casa de Cabral desde sexta-feira criticavam o encontro. Bruno Cintra, uma das porta-vozes do movimento Ocupa Cabral, deixou claro que o grupo não sairá da frente da casa do governador, e disparou contra o grupo dos "supostos representantes" que foi até o Palácio Guanabara.
"Os que vieram hoje aqui estão querendo enganar a imprensa e o governo. Precisamos desfazer essa confusão, e é primordial que o governador receba os manifestantes que estiveram na Rocinha e em outras comunidades carentes. Para que o governador se reúna com a gente, é preciso que ele saiba quem realmente representa o movimento Ocupa Cabral, e não são os que vieram aqui hoje".
Vinícius Fragoso, Jair Seixas e Bruno Cintra(da esquerda para a direita) dispararam contra  o grupo que se reuniu com Cabral: "Não nos representam"
Vinícius Fragoso, Jair Seixas e Bruno Cintra(da esquerda para a direita) dispararam contra  o grupo que se reuniu com Cabral: "Não nos representam"
Bruno, também conhecido como "Ruivo", comentou um pouco sobre a conduta dos que foram se reunir com o governador nesta quinta:
"O Eduardo(cabeça dos "supostos representantes") apareceu no sábado, com uma gangue de vinte motoqueiros, um grupo de extremistas. Um dos amigos dele disse que a "Revolução de 1964" - o golpe militar - havia sido a melhor coisa que aconteceu no Brasil", disse ele. Bruno destacou ainda que vários outros integrantes do grupo dos "supostos representantes" tentam desde sábado passado se aproximar dos verdadeiros manifestantes mas ninguém sabe o verdadeiro objetivo desse grupo.
Fonte: JB

Um verdadeiro fiasco a tentativa do governador de tentar amenizar as coisas para o seu lado, através de uma reunião com representantes, que na verdade não representam ninguém. Quando será que Cabral estará disposto a reunir-se com os legítimos porta vozes e ouvir os verdadeiros pleitos do povo?
Inaceitável este episódio! Porque Cabral não visita o acampamento, para em fim  conversar com quem realmente precisa ser ouvido? Chega de joguinhos, manobras, violência, imposição, o povo está indignado com tanta sujeira, tanta malícia, chega de corrupção.
Bombeiros acampados no local, por aderirem o movimento Ocupa Cabral, nos informaram que dentre as principais reivindicações do grupo, estão a reintegração dos nossos 14 heróis excluídos injustamente pelo governo. 
CONTRA O POVO UNIDO O SISTEMA NUNCA PREVALECERÁ!         



O Brasil volta às ruas hoje para mais protestos


Reprodução da Folha de S. Paulo
Reprodução da Folha de S. Paulo


Como podem ver estão programadas hoje manifestações em 18 cidades, entre elas, Rio de Janeiro, Rio das Ostras e Teresópolis, nesta última a revolta do povo contra Cabral e Pezão pelo desvio das verbas emergenciais é muito grande. E muita gente vai protestar contra a Globo, que é lobo, agora vestindo pele de cordeiro, para tentar enganar mais uma vez os brasileiros. 

Tá nas redes: manifestantes convocam novo ato nesta quinta-feira, no Rio

A passeata vai sair da Candelária e os manifestantes querem reunir milhares de pessoas



A quinta-feira (27/06) começou agitada nas redes sociais. Manifestantes estão convocando os internautas para novo protesto no Rio.

O "Grande Ato Pacífico" deve acontecer na tarde dessa quinta e, entre outras reivindicações, cobra a reforma política, a aprovação da PEC 280, que diminui o número de deputados, maiores investimentos nas áreas da educação e saúde e a investigação sobre os gastos da Copa. O ato também vai celebrar a derrubada da PEC 37, que tirava do Ministério Público o poder de investigação.

Fonte: JB


RUMO A NOVAS VITÓRIAS!!!

quarta-feira, 26 de junho de 2013

CPI dos ônibus é protocolada e aguarda aprovação da Câmara

Recesso parlamentar começa nesta quinta-feira.




Rio - O requerimento de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que pretende investigar os contratos da Prefeitura do Rio com as empresas de ônibus que circulam na cidade obteve as 27 assinaturas. O mínimo necessário para dar entrada no pedido de criação da CPI, iniciado pelo vereador Eliomar Coelho (Psol) era de 17.
O pedido, no entanto, segue para ser avaliado pela mesa da Câmara, que tem cinco dias para dar o parecer. Entretanto, isso pode não acontecer antes do início do recesso parlamentar, que começa quinta-feira. Manifestantes estão marcando ato em apoio à CPI para esta quarta-feira, na escadaria da Câmara, a partir das 14h.
Confira a lista dos parlamentares que assinaram pela CPI: Eliomar Coelho(PSOL),Renato Cinco (PSOL), Paulo Pinheiro (PSOL), Júnior da Lucinha (PSDB), Jefferson Moura (PSOL), Reimont (PT) César Maia (DEM), Tio Carlos (DEM), Rosa Fernandes (PMDB), Leonel Brizola Neto (PDT), Carlos Bolsonaro (PP), Teresa Bergher (PSDB), Carlo Caiado (DEM), Márcio Garcia (PR), Verônica Costa (PR), Paulo Messina (PV), Marcelo Arar (PT), Rafael Aloisio Freitas (PMDB), Willian Coelho (PMDB), Jorge Manaia (PDT), Dr Gilberto (PTN) e Leila do Flamengo (PMDB)

Fonte: O Dia

terça-feira, 25 de junho de 2013

Tá nas redes: ativista deixa movimento afirmando que está sofrendo ameaças

Pedro Casarin liderava acampamento nas proximidades da casa de Sérgio Cabral





O porta-voz do movimento Ocupe Delfim Moreira, Pedro Casarin, que está desde a noite de sexta-feira acampado no Leblon, nas proximidades da casa do governador Sérgio Cabral, informou nesta segunda-feira, através de um relato em sua página no Facebook, que está se afastando do movimento após ter recebido supostas ameaças. 

>> Protesto na casa de Cabral reúne quatro mil em ato pacífico

"Acho que a atitude mais sensata a fazer no momento é me afastar um pouco, dar um tempo", escreveu Casarin.

De acordo com o ativista, um homem o abordou afirmando que ele deveria tomar muito cuidado, porque poderia perder a vida. Em seguida, dois outros homens teriam tirado fotos dele, mesmo sem qualquer identificação de imprensa. Ainda de acordo com Casarin, mais tarde sua mãe - que também participava do protesto - também foi abordada  por outro homem alertando-a sobre cuidados que seu filho teria que ter a partir daquele momento, porque estava se expondo muito e corria sérios riscos.


"Apesar de tudo, foi muito importante o que fizemos. Gostaria de agradecer a todos que aderiram e fizeram parte do movimento, principalmente aos que ficaram conosco lá, esse tempo todo! Quando tive a idéia de criar o Ocupe Delfim Moreira, de uma forma muito espontânea e passional, não imaginava que fosse tomar uma proporção tão grande e foi ótimo isso. Mas infelizmente ou felizmente, as coisas nem sempre saem como planejado", finalizou Casarin, em seu texto no Facebook

Fonte: JB

Mais uma manobra sórdida encomendada certamente por alguém que não está gostando nada de todo este maravilhoso e democrático movimento essencialmente popular. Na verdade, trata-se de uma luta do bem contra o mal, do povo contra a corrupção, que tem importunado, em muito, a grande parte dos poderosos do nosso país. 
O povo ao lado da justiça usa nesta luta sua mais poderosa arma : a união. Em contrapartida, os representantes do mau ao perceberem que estão perdendo já muitas batalhas, não estão hesitando em colocar seus planos covardes e maquiavélicos em ação.
Que Deus abençoe ao cidadão de bem, que tem lutado ilibadamente em prol da justiça.

CPI dos Ônibus já tem o número de assinaturas necessário para implantação

Já assinaram a lista 22 vereadores; Base quer derrubar sessão


A CPI dos ônibus, proposta pelo vereador EliomarCoelho(PSOL) já tem condições de ser implantada. O número de vereadores mínimo para a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito, 17, foi superado nesta terça-feira. Até o horário marcado para o início da sessão parlamentar na Câmara de Vereadores, às 14h, 22 vereadores haviam assinado a lista.  
Os nomes, até esta segunda, eram os de Eliomar Coelho(PSOL); Renato Cinco (PSOL);Paulo Pinheiro (PSOL);Júnior da Lucinha (PSDB);Jefferson Moura (PSOL); Reimont (PT); César Maia (DEM); Tio Carlos (DEM); Rosa Fernandes (PMDB); Leonel Brizola Neto (PDT); Carlos Bolsonaro (PP), Teresa Bergher (PSDB), Carlo Caiado (DEM), Márcio Garcia (PR) e Verônica Costa (PR). 
Nesta terça-feira, outros sete deputados assinaram a lista: Paulo Messina (PV), Marcelo Arar (PT), Rafael Aloisio Freitas (PMDB), Willian Coelho (PMDB), Jorge Manaia (PDT), Dr Gilberto (PTN) e Leila do Flamengo (PMDB). 
Nos corredores da casa, correm informações de que a base do governo, comandada pelo deputado Luiz Antonio Guaraná(PMDB) iria fazer de tudo para derrubar a sessão e impedir a criação da CPI. Mais de cinco mil pessoas confirmaram presenças nas galerias da Câmara Municipal nesta terça.
O vereador Eliomar Coelho, autor da proposta, criticou quem o chama de oportunista pela tentativa de criação da comissão logo após os protestos que começaram em todo o país, contra o aumento das passagens no transporte público:
“Estou na casa há muito tempo, e sempre trabalhamos por maior transparência nos transportes. Antes de qualquer protesto, pedimos ao Tribunal de Contas do Município os contratos entre as empresas de ônibus e a prefeitura”, explicou Eliomar, que classificou como natural a reação de Luiz Antônio Guaraná(PMDB), líder do governo na Câmara. “Ele é líder, é o papel dele. Mas tem que ter o ônus de provar a transparência, não pode ter só o bônus”, finalizou.
Fonte: JB
 Com o apoio do povo, que lotam as galerias aqui da Câmara Municipal neste momento, conquistaremos juntos esta CPI. 
Aqui vamos nós. Rumo a faxina!






MORRE MAIS UM HERÓI EM COMBATE NO RIO

Sargento do Bope morre após arrastão em Bonsucesso

Grupo tentou fechar a Avenida Brasil após protesto. Bope foi acionado para a Favela Nova Holanda



Rio - Bandidos aproveitaram o fim da manifestação que ocorria desde a tarde desta segunda-feira em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, e promoveram momentos de terror na Avenida Brasil e arredores. Dezenas deles tentaram fechar a via e assaltaram diversas pessoas na região. O sargento do Bope Ednelson Jeronimo dos Santos Silva, 42 anos, foi baleado e morreu durante a ação.

O corre-corre começou por volta das 20h15, quando os criminosos chegaram munidos de paus, pedras e bombas caseiras. Uma tropa do 22º BPM (Maré) e PMs do Batalhão de Choque (BPChq) revidaram a ação com bombas de efeito moral e balas de borracha. Logo após, os bandidos ateram fogo a montes de lixo e ocuparam uma das pistas da Brasil para assaltar os motoristas, mas foram impedidos pelos PMs. 

Após o arrastão, o grupo seguiu em direção à Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram acionados e, com um blindado, entraram na comunidade.

Segundo a PM, cerca de 20 suspeitos foram detidos. Três delas prestaram depoimento na 21ª DP (Bonsucesso). Muitas pessoas que moram na Nova Holanda não conseguiram voltar pra casa e permanecem nos acessos à comunidade.

 A Força Nacional de Segurança também foi acionada e outro Caveirão deu suporte à ação dos policiais. Paramédicos do Bope foram vistos na favela.

Manifestação reuniu 300

A manifestação que ocupou a Praça das Nações transcorria pacífica desde às 13h desta segunda-feira. Os presentes, a maioria jovens, gritavam palavras de ordem no local e ergueram cartazes. Houve um princípio de tumulto quando um deles soltou um rojão no local, que foi rapidamente contornado. 

Após a sucessiva ocupação das pistas da Avenida Brasil, o protesto foi dispersado pelos PMs no início da noite, que lançaram bombas de efeito moral para conter os manifestantes.

Fonte: O Dia

Que Deus abençoe e conforte a família deste guerreiro, que lutou até a morte em favor do seu próximo, da ordem, da pátria. 

 



    segunda-feira, 24 de junho de 2013

    Protesto na casa de Cabral reúne quatro mil em ato pacífico

    Manifestantes, que vieram andando de Copacabana, pedem saída de Cabral do país



    A movimentação de manifestantes na rua do prédio do governador Sérgio Cabral, entre as rua Aristides Espínola e a Avenida Delfim Moreira, no Leblon, chegou ao seu auge neste domingo(23), ao reunir mais de quatro mil manifestantes, segundo estimativas da Polícia Militar. O povo, através de cartazes e palavras de ordem, manifestava seu descontentamento contra o governador, e de forma absolutamente pacífica.




    Um grupo que se manifestava contra as PECs 33 e 37(que diminuem o poder do Ministério Público e do STF, respectivamente) partiu da praia de Copacabana e engrossou os manifestantes que fazem uma vigília no Leblon desde a tarde de sexta-feira.

    Durante a manifestação, o menino Miguel, de 7 anos, caminhava orgulhoso segurando uma bandeira do Brasil. O pai, Wanderson Frias, explicou que é franco-brasileiro e disse que, na França, nem sempre é fácil protestar como se vê nas últimas semanas em todo o país. “Ele está aprendendo a ler, e já estou ensinando o significado de Democracia, Política. Para ele saber que não é tudo festa, né? Que há coisas importantes nesse protesto”, explicou, com o filho sorrindo a seu lado.

    O grupo caminhou desde a praia de Copacabana e por toda a extensão da praia de Ipanema gritando palavras de ordem, de forma pacífica e sem causar absolutamente nenhum risco aos moradores de Ipanema e Leblon.

    Já no local da manifestação, o ator Osmar Prado passeava anônimo em meio à multidão. Ele considera o protesto na casa de Cabral algo totalmente válido: “Quando ele foi perguntado o que ele achava de ser um dos principais alvos dos protestos, ele se fez de desentendido e ainda por cima disse que essa impressão era apenas do repórter, ou seja, ironizou as críticas vindas do povo. E o que vemos hoje não é apenas uma opinião isolada”, disse o ator.

    Entre os gritos de ordem, chamaram a atenção os que pediam “Cabral, vai embora pra Paris”, onde Cabral foi visto em fotos comprometedoras com Fernando Cavendish, um dos sócios da Delta, e os gritos feitos pelos manifestantes lembrando de diversos casos polêmicos envolvendo o governador. A ligação com a Delta, de Carlinhos Cachoeira e Cavendish, o superfaturamento das obras do Maracanã, que terminou orçado em R$ 1,130 bilhão, além da ligação da mulher de Cabral, a advogada Adriana Ancelmo, com grandes empresários do transporte público na cidade. Um grito que também tomou conta dos que foram protestar fala do futuro da maior competição futebolítisca do mundo, a Copa de 2014. "Não vai ter Copa!", gritavam os manifestantes durante todo o trajeto entre Copacabana e Leblon.

    Fonte: JB

    LINDO DEMAIS!!!

    domingo, 23 de junho de 2013

    MP vai investigar ação da PM em protestos no Rio

    Órgão vai apurar denúncias de abusos de policiais, principalmente do Batalhão de Choque

    Rio - A 2ª Promotoria de Justiça junto à Auditoria de Justiça Militar instaurou, nesta quinta-feira, inquérito para apurar eventuais abusos praticados por policiais militares, principalmente do Batalhão de Choque, durante as manifestações realizadas no Centro da cidade.
    O promotor Paulo Roberto Melo Cunha Júnior aguarda o relatório da atuação do batalhão nas manifestações, solicitado ao subcomandante, major Adriano Rodrigues, em reunião realizada no início desta semana. O material deverá conter detalhes sobre o uso de armas não letais, como gás lacrimogêneo e balas de borracha.
    MP investigará ação da Polícia Militar nos protestos no Centro da cidade
    Foto:  Paulo Araújo / Agência O Dia
    Nesta quinta-feira, uma comitiva composta pelos promotores Gláucia Santana e Rogério Pacheco, das Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania; e Patrícia Mothé Glioche, da 1ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos, esteve na Escola Nacional de Direito, próxima ao Campo de Santana; no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, no Largo de São Francisco, ambos da UFRJ; e no Hospital Souza Aguiar para checar supostas violações dos direitos humanos e assegurar a integridade física dos manifestantes que se refugiaram nas dependências universitárias.
    Os promotores orientam as pessoas que tenham imagens de abusos ou que possam identificar os envolvidos nos atos de vandalismo a entrarem em contato com a Ouvidoria do MPRJ pelo telefone 127 ou pela internet ( www.mp.rj.gov.br ).
    MP requer explicações sobre conduta dos policiais ao comando da PM
    Nesta sexta-feira, a 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania instaurou inquérito para apurar emprego excessivo de força pela PM em protesto realizado nas imediações do Maracanã, no último dia 16.
    Ativistas se concentram na Candelária e segurança é reforçada no Maracanã
    Reuters
    O procedimento da Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania apura quais são as diretrizes da política de segurança adotadas pela Secretaria de Segurança do Estado (SESEG/RJ), pelas unidades especiais da PM – Batalhão de Choque, Batalhão de Operações Especiais, Batalhão de Ação com Cães, Regimento de Polícia Montada e Grupamento Especial de Policiamento em Estádios – e pelas unidades convencionais.
    O inquérito civil requer que o Comando-Geral da PM esclareça, em 20 dias, as estratégias e regulamentos utilizados pela corporação para as operações de controle de distúrbios civis; a atuação da corporação e de seus organismos, especificamente nas manifestações populares recentemente ocorridas na cidade; e a existência de normatização sobre a utilização de armas não letais como gás de pimenta, gás lacrimogêneo, armas de choque, balas de borracha e o bastão policial.
    Além disso, o MPRJ irá notificar o comandante-geral da PM e os comandantes dos respectivos batalhões, além dos responsáveis pelo 5º BPM (Praça da Harmonia) e 6º BPM (Tijuca), para comparecerem a uma reunião, nos próximos dias, na 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Cidadania da Comarca da Capital. O objetivo do encontro é esclarecer as medidas tomadas para planejar e executar ações de acompanhamento e controle de manifestações populares e de distúrbios civis no Rio de Janeiro.

    Fonte: O Dia

    sábado, 22 de junho de 2013

    O riso de Cabral enquanto a cidade pega fogo

    21/06/2013 22:05

    Reprodução de O Dia online
    Reprodução de O Dia online


    Cabral está refugiado em Mangaratiba, certamente em pânico, com medo do povo. Mas hoje ao falar do que aconteceu ontem no Rio de Janeiro fez questão de se solidarizar com o repórter da Globonews que foi atingido por uma bala de borracha disparada pela PM. Quanto a todas as outras pessoas que protestaram pacificamente, mas foram vítimas da violência policial, nem uma palavra de solidariedade. Nem para as quatro vítimas de tiros de verdade disparados pela PM na protesto da ALERJ, na segunda-feira. Cabral só tem olhos e solidariedade para a Globo. É deprimente. Continua ignorando a população. Mas as pessoas não esqueceram dele nos protestos, muito pelo contrário, foi o mais lembrado, inclusive hoje na porta do seu prédio, no Leblon.


    Em tempo: Alguém saberia do que Cabral está rindo na coletiva de hoje sobre os protestos? 


    E hoje o povo ainda está por lá e prometem ficar. Homens e mulheres de bem a espera da oportunidade de expressar toda a sua revolta contra este governo escuso, que trata o cidadão de bem com deboche e violência.




    sexta-feira, 21 de junho de 2013

    Multidão revive 'Diretas Já'

    Estimativas vão de 300 mil a um milhão de pessoas ocupando toda a Presidente Vargas




    Rio - Há quase 30 anos, desde o histórico comício pelas Diretas Já, o Centro do Rio de Janeiro não via tantas pessoas reunidas para lutar pela democracia. Um milhão de cariocas marchou pela Avenida Presidente Vargas, empunhando cartazes que refletiam sua insatisfação com as mazelas sociais.



    Mas, ao contrário da passeata de 1984, o protesto desta quinta-feira teve um final marcado por cenas de enfrentamento entre policiais e grupos de manifestantes, em frente à sede da prefeitura.

    Com a vitória da mobilização popular na redução das passagens, muitos resolveram aderir à passeata ontem. O que se via nas ruas era a mistura de pessoas lutando por causas diversas, como educação, saúde, fim do preconceito contra homossexuais e os gastos excessivos com os grandes eventos.


    O mesmo cenário, com novas cores e aspirações políticas: manifestantes ocuparam nesta toda a extensão da Presidente Vargas, como no histórico Comício das Diretas
    Foto:  Alexandre Brum / Agência O Dia
    Representantes de partidos com bandeiras cederam às pressões dos apartidários, que pediam a retirada de material de campanha.

    A concentração começou ainda no meio da tarde, em frente à Igreja da Candelária. Muitas pessoas levaram seus filhos. “Eles são pequenos ainda, mas vão lembrar disso para sempre. É a História sentida na pele”, disse Adriana Passos, 31 anos, que levou os filhos, um de 7 anos e outro de 11 meses. Outro que levou a família foi o cabo Benevonuto Daciolo, que liderou a greve dos bombeiros há dois anos. 

    Comício das Diretas, em abril de 1984: avenida voltou ontem a ser palco de intensa mobilização popular
    Foto:  Banco de imagens
    “Mais de 500 bombeiros aderiram, muitos sem camisa, para não chamar a atenção”. 
    Depois de participar ativamente do comício das Diretas, o advogado Francisco Pio Borges, 62 anos, voltou às ruas. “Acho fundamental apoiar os jovens, para que eles aprendam desde cedo a lutar por um futuro melhor”, disse ele, acompanhado da mulher.

    Aplausos das janelas e Hino Nacional

    Por duas horas, a manifestação foi pacífica. Das janelas de prédios, pessoas apoiavam o movimento, estendendo bandeiras do Brasil e aplaudindo os manifestantes. A maioria dos participantes pedia que todos mantivessem a calma e que o ato fosse de paz.

    Em frente à Central do Brasil, a multidão cantou o Hino Nacional em coro emocionante. Está marcado um novo ato no Rio no dia 30, no jogo final da Copa das Confederações, no Maracanã.

    Neste sábado, em Nova Iguaçu, haverá ato público. O comandante do 20º BPM (Mesquita), Max Fernandes, disse que escalou cerca de 200 policiais para garantir a ordem pública.

    Fone: O Dia


    Lindo demais! Emocionante! Uma caminhada muito especial pela Presidente Vargas, uma aula de cidadania, união popular e democracia, que o Governo mais uma vez duramente tentou reprimir através da Polícia Militar. Truculenta, nos lançaram bombas de gás, explosões eram constantes, tiros, choro, desespero em alguns momentos.

    Não conseguirão calar o povo, a voz da maioria, aprisionar a democracia. Para orgulho de todos nós brasileiros, o que foi ouvido por meio dos gritos de ordem, é que iremos avançar, a luta continuará, contra as maracutaias, contra a injustiça.

    Acreditamos que em breve o povo estará comemorando outras vitórias, conquistas históricas de um povo valente. 

    TODOS JUNTOS VAMOS 
    PRA FRENTE BRASIL BRASIL
    SALVE ESSA NAÇÃO!