quarta-feira, 24 de abril de 2013

PAES SE RETRATA POR MEDIDA ERRADA.

Paes admite erro ao decretar ponto facultativo na saúde


Após o caos nos postos de saúde do Rio nesta segunda-feira (22), com filas e demora no atendimento, o prefeito do município, Eduardo Paes, pediu desculpas aos cariocas, admitiu a falha e tomou medidas. Ele decidiu que, a partir de agora, algumas unidades básicas de saúde - postos e clínicas da família - deverão funcionar nos dias de ponto facultativo. A campanha de vacinação contra a gripe também deverá ser estendida por mais uma semana no Rio.
"Peço desculpas à população. Em geral, aos domingos e feriados, essas clínicas e centros municipais já não funcionam, mas, num ponto facultativo e ainda com a campanha de vacinação em andamento, o atendimento deveria acontecer em polos", admite o prefeito.
O fechamento dos postos de saúde ocorreu num momento em que os casos de dengue estão em alta e em meio à campanha de vacinação contra a gripe, que terminaria nesta sexta-feira (26). Mas, diante do problema, a prefeitura optou por ampliar o período da campanha de vacinação contra a gripe por mais uma semana (até o dia 3 de maio) além do prazo inicial de encerramento. 
A prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, também anunciou que vai publicar uma resolução detalhando como será o funcionamento das unidades de saúde. De acordo com a sua assessoria, haverá a criação de polos de atendimento em todas as áreas da cidade com uma ou mais unidades em funcionamento. 
"Desta forma, a população contará com mais oferta de saúde, além da assistência que hoje já é oferecida pelas UPAS e demais unidades 24 horas, como hospitais e coordenações de emergência em dias de ponto facultativo", afirma a prefeitura. 
MANDATO: Louvável atitude de nosso prefeito ao reconhecer que tomou uma medida não adequada ao declarar ponto facultativo para os postos de saúde neste último feriado; demonstrando não ter compromisso com o erro.
Aproveitando o ensejo deste período de consciência do prefeito, gostaríamos de solicitá-lo que a mesma postura fosse adotada em relação aos trabalhadores das vans. Que há mais de duas semana vem sofrendo juntamente com a população após sua medida em que proíbe a circulação das vans em 11 bairros da zona sul, desassistindo os cidadãos fluminense. 
Motoristas de vans fazem passeata na orla da Zona Sul | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

Um comentário: