Os manifestantes, no entanto, alegam que as casas estão no local há mais de um século e sempre com a autorização da administração do Jardim Botânico. 
Moradores lutam contra desocupação de casas no Horto | Foto: Paulo Araújo / Agência O Dia
Moradores lutam contra desocupação de casas no Horto | Foto: Paulo Araújo / Agência O Dia
História da comunidade
A ocupação da área do Horto Florestal, hoje pertencente à União Federal, data do ano de 1808, quando o então Rei Dom João VI desapropriou o Engenho de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa, que funcionava no local, para a construção de uma fábrica de pólvora.
Em 1811, foram erguidas vilas para a instalação dos trabalhadores da fábrica, em virtude de o local ser considerado de difícil acesso. Com a transferência da fábrica para Raiz da Serra, aos pés da serra de Petrópolis, na Região Serrana, a área foi desmembrada e alienada. Com isso, muitas casas de antigos funcionários foram cedidas, já no século 20, a funcionários do Jardim Botânico.
Fonte: O Dia

 Repudiamos qualquer ação voltada para despejar estes moradores, famílias que construíram ali  sua história ao longo de muitos anos.
Esperamos que o Ministério Público assista estas famílias com dignidade, e que através de uma intervenção justa, garanta a permanência destes cidadãos de bem em seus lares.