Caso o sindicato proceda com o ato e incentive os professores e demais servidores a entrarem em greve, poderá receber multa diária de R$ 500 mil.
A Secretaria de Educação (Seeduc) afirma que entrou com o pedido de liminar por entender que o sindicato não tem motivos para incitar a paralisação, e que os estudantes necessitam ter aulas e os pais precisam que os filhos vão para a escola. Segundo a secretaria, a categoria tem recebido reajustes salariais e, este ano, já obteve auxílio alimentação e o anúncio de aumento do salário já foi feito.
“Em maio anunciaremos o percentual. Será acima dos 5,84% referentes à inflação de 2012, portanto, com ganho real. Os docentes da rede estadual estão tendo recomposição salarial e têm um pacote de benefícios que não tinham; como os auxílios transporte, alimentação e qualificação, além de formação continuada paga e com bolsa”, afirmou o subsecretário de Gestão de Pessoas da Seeduc, Luiz Carlos Becker Júnior.
Ainda de acordo com a Seeduc, nesta terça-feira faltaram ao trabalho apenas 297 docentes, de um total de 75 mil. Ou seja, 0,3% do total.
Fonte: O Dia

Assim comporta-se o atual Governo, sempre militando contra o servidor honesto. Chega a ser ridícula a postura da Secretaria de Educação, ao tentar deslegitimar a luta dos professores,  afirmando não haver motivos para a reivindicação por melhores condições salarias, estando estes profissionais amargando de fato um péssimo salário. O Governo até tentou iludir a classe, por meio de um pacote de migalhas(auxílio transporte, alimentação e bolsa formação continuada), que na verdade não eleva satisfatoriamente o salário dos docentes. Infelizmente nossos professores continuam sofrendo com a falta de valorização, por meio de uma pérfida política salarial, incompatível com a importância do nobre ofício destinado àqueles que dedicam suas vidas a arte de ensinar.