quarta-feira, 27 de março de 2013

SECRETÁRIO DE CULTURA FALTA AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA MUNICIPAL






A ausência do Secretário de Cultura à primeira audiência pública desta gestão, causou mal estar ontem na Câmara Municipal. Segundo o que foi amplamente divulgado pela mídia, o Secretário tentou justificar sua ausência, em razão de estar recebendo ameaças, mas a justificativa não convenceu nenhum dos presentes, dentre artistas, ativistas favoráveis a questão dos índios, alguns indígenas, dentre outros cidadãos de bem interessados nos assuntos que seriam debatidos. 
Temos aí um problema grave! Um Secretário de Cultura pronto a não dialogar com artistas e outras pessoas interessadas na saúde cultural do nosso município, poderá provocar uma crise dentro deste contexto cultural.

Segue abaixo matéria do JB, com repercussão do assunto:


Na rede, secretário de Cultura recebe ameaças e críticas dos internautas

Leitão trocou farpas com usuários do Twitter nesta terça-feira (26)

Jornal do BrasilÍris Marini
O secretário de Cultura do município do Rio, Sérgio Sá Leitão, afirmou em seu Twitter que recebeu ameaças e ataques virtuais, depois de expressar a sua opinião sobre a Aldeia Maracanã na semana passada. Temendo represália e até mesmo, para preservar a sua "integridade física", Leitão faltou à primeira audiência  pública da gestão atualda Secretaria de Cultura, promovida pela Comissão de Educação e Cultura realizada nesta terça-feira (26), o que provocou novamente a reação dos internautas.
A maioria dos apoiadores dos índios pode ter se informado da reunião pelo fato de os artistas terem realizado uma mobilização virtual para comparecer à audiência pública. Eles, que aguardavam a presença do secretário para dar soluções a respeito dos teatros e casas culturais, além de se inteirarem dos trabalhos da secretaria, não entenderam a ausência do secretário. 
A indignação dos ativistas e índios da Aldeia Maracanã foi maior a respeito da sua opinião quanto à postura do Batalhão de Choque, na desocupação dos índios, no prédio do antigo Museu do Índio, ocorrida na sexta-feira passada (22).
Declarações do secretário revoltaram internautas
Declarações do secretário revoltaram internautas
O secretário retuitou um post de um seguidor que dizia: "Pergunta a João Saldanha, candidato a vice-prefeito do Rio em 1985: 'E a questão indígena?'. 'Índio? No Rio? Só se for do Cacique de Ramos' ".
"A tal "aldeia Maracanã" é uma ficção pseudoantropológica criada pelos reacionários dogmáticos de sempre e acalentada pelos ingênuos de sempre", disse também na mesma data em que houve a desocupação do imóvel, em seu Twitter.
Hoje, porém, ele se defendeu dos ataques ressaltando suas ações em defesa de índios: "Vale lembrar também que fui um dos idealizadores e executores do primeiro edital de apoio a projetos de cultura indígena realizado no Brasil", postou na rede. 
Bate-boca virtual
Apesar de não comparecer à audiência pública, Sérgio Sá passou toda a manhã rebatendo as críticas e as ofensas levantadas pelos seguidores em seu microblog. Um usuário minimizou as ameaças sofridas pelo secretário, que em troca, ironizou com uma 'conhecida' ofensa ao cidadão. 
Usuário minimizou o perigo de ameaças na internet
Usuário minimizou o perigo de ameaças na internet
Outra usuária, insistia ao longo da audiência para que o secretário comparecesse à Câmara. "Não consigo entender que isso possa impedi-lo de dialogar com os setores culturais que aqui estão pacificamente", queixou-se ela. Em resposta, Sérgio disse: "Vc garante que todos aí estão a fim apenas de debater? A segurança da Câmara infelizmente não garante. Não posso arriscar", alegou.
Já em outra postagem, um cidadão ofendeu o secretário, com um termo que dá a entender que o secretário 'amarelou'. Irritado, Leitão também respondeu a esta e outras provocações. No entanto, ele se comprometeu a discutir a Cultura em nova audiência. "É importante lembrar que a audiência pública foi convocada pela Comissão de Educação e Cultura a meu pedido. Reitero o interesse no diálogo. (...)É difícil dialogar num contexto de ameaças e fanatismo. Mas a disposição continua. Será mais produtivo com calma. (...) Já falei... E repito. Eu quero debater a política pública de cultura da cidade. Mas em segurança. E racionalmente. Teremos outras chances!", declarou no seu perfil.
Fonte: JB


Um comentário:

  1. Sua posição política, a favor dos CORRETOS INJUSTIÇADOS, e sua forma de atuação em prol dos mesmos, são dignas de louvor!!
    SENSACIONAL!!!

    ResponderExcluir