domingo, 17 de fevereiro de 2013

Tragédia: Estamos perdendo nossos Bombeiros.

É com profundo pesar que comunico a todos que nosso irmão Bombeiro Marcio Marmelo faleceu nesta data. Fui informado através de um amigo e também ex militar do CBA Capital/Méier que nosso amigo foi encontrado pelo pai enforcado numa corda presa num ventilador de teto. Sei que a imagem que por hora apresento é muito triste e chocante, mas existe uma finalidade.

A algumas semanas, também num final de semana, recebi a mesma noticia informando o óbito de outro bombeiro, outro amigo, outra pessoa que tive a honra de conhecer na atividade, outro caso de suicídio. Este foi o Rubens, que conheci no quartel de Saquarema. Na época não publiquei nota sobre o seu triste falecimento e só estou fazendo agora com um objetivo específico.

É claro que conheço muitos bombeiros, mas é bem possível que outros suicídios tenham acontecido, mas só esses dois que tomei conhecimento já representam um índice muito alto.

Outra questão que precisa ser destacada é que os dois passavam por uma adaptação do serviço do expediente para o serviço de prontidão, já que recentemente nós acompanhamos um esvaziamento do expediente promovido pelo comando da corporação. Amigos relatam a dificuldade dessa adaptação por alguns colegas.

Outro fator que certamente influenciou essa tragédia foi o local para onde nosso amigo foi transferido. Nosso amigo é morador de mesquita e foi transferido para Copacabana. Sei que o leitor vai concordar que é muito longe, mas é muito comum encontrar bombeiros servindo em locais mais distantes ainda de casa, inclusive em Copacabana, onde conheci militares que residem em Campos e levam até 6 horas de viagem para poder ir trabalhar. Se esse fator contribuiu para essa tragedia, muitos outros bombeiros vivem o mesmo problema e estão suscetíveis a terem o mesmo trágico destino.

Por fim, ambos estavam experimentando, assim como os outros militares do cbmerj, a imposição de um regime disciplinar duríssimo que tem punido e constrangido centenas de bombeiros diariamente.

Não sou especialista mas acho que a questão deveria ser tratada com mais respeito pela Corporação, deveria ser feito estudo para identificar a causa da tragedia e definir até quando a vida militar no cbmerj influenciou esta tragedia. Tal trabalho poderia evitar que mais amigos nossos perdessem a vida de forma tão trágica.

Enquanto o estudo não sai, se é que alguém vai se interessar por ele, me resta pedir aos colegas bombeiros, oficiais e praças, que mantenham atenção redobrada com os bombeiros que estão sentindo mais dificuldade em se adaptar ao regime de repressão e transferências imposto na nossa caserna, alertando seus comandantes sobre comportamentos suspeitos para que os bombeiros possam ser encaminhados para atendimento com um profissional habilitado.


3 comentários:

  1. Belíssima matéria. Um belo comentário sobre a atenção que não está sendo dada aos bombeiros. É preciso um acompanhamento psicológico, isso é evidente há muito tempo. Nossa profissão por si só já exige um acompanhamento psicológico, haja vista as tragédias que nós atendemos. Isso nos marca pra sempre. E fazemos isso com condições precárias, começando pelo rancho, que na minha opinião deveria acabar, porque a comida não é a adequada. É grande o número também de infecções alimentares, debilitando nossos bombeiros.

    ResponderExcluir
  2. Eu acredito que muitos bombeiros estão passando por isso pois sempre trabalharam em serviços internos e agora coloca eles em quarteis de fileira sem nenhum amparo e preparo e vai acontecer mais tragedias ainda espero que não espero que alguem tome uma atitude .

    ResponderExcluir