quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

MP investiga bombeiros acusados de corrupção

 

Oficiais também são suspeitos de praticar improbidade administrativa e enriquecimento ilegal

 
 

 

Rio - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro investiga a participação de oficiais do Corpo de Bombeiros em empresas de consultoria em prevenção e combate a incêndios.
Nos dois inquéritos civis e na ação civil pública, a atuação dos bombeiros apresenta irregularidades como improbidade administrativa, enriquecimento ilegal e corrupção.

No inquérito da 1ª Promotoria de Justiça e Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania da Capital, o comandante do 22º GBM (Volta Redonda), tenente-coronel Márcio Silva, é investigado por registrar a empresa no nome de sua mulher. Segundo promotoria, o procedimento apura se o militar se beneficia do cargo para aprovar seus projetos na frente de outros pedidos.

"O estatuto da corporação proíbe que qualquer membro do Corpo de Bombeiros seja dono de empresa que atue no combate e prevenção de incêndios. Caso fique comprovada a participação do militar, fica claro o conflito de interesses com a função pública. Isso caracteriza a improbidade administrativa", narra trecho do processo.

Na ação da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania, um dos investigados é o coronel Paulo Gomes dos Santos Filho, ex-Secretário Estadual de Defesa Civil do Rio de Janeiro, no período de 1999 a abril de 2002, e ex-Chefe do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ).
 
De acordo com o procedimento, ele teria vínculo com cinco empresas: Sermacol, Stoppark, Vigilance, Sidartha e Lipa. Além da improbidade, a ação tem por objetivo desvendar o patrimônio do militar para saber se houve enriquecimento incompatível com os seus rendimentos.
No outro inquérito civil, o MP apurou a participação de quatro oficiais na cobrança de propina.
Pelas investigações feitas pela 2ª Promotoria de Justiça junto à Auditoria da Justiça Militar, foi levantada a venda de "Certificados de Aprovação", que permitiam o funcionamento dos estabelecimentos, em troca de dinheiro. O procedimento foi encaminhado à Corregedoria do Corpo de Bombeiros.
 
Fonte: O Dia
 
 
O ministério público está trabalhando e os verdadeiros vilões logo serão reveledos. Como podemos verificar na matéria acima, alguns nomes que estão sendo investigados já foram expostos e acreditamos que muitos novos casos serão descobertos, para vergonha de toda corporação. Estamos acompanhando as investigações, otimistas com a oportunidade de limpar nossa corporação das ações dos legítimos irresponsáveis.

5 comentários:

  1. É isso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Mp nelesssssssssssss!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Meus PARABÉNS!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. VERGONHA! VERGONHA! OFICIAIS SEM VERGONHA! PORQUE QUE EXISTE BOLETIM RESERVADO? NÃO ESTAMOS NA REPUBLICA,E DEMOCRATICA? O QUE SERÁ QUE ELES TANTO ESCONDEM, NOS BOLETINS RESERVADOS!
    ATT.VINGADOR

    ResponderExcluir
  4. SERÁ QUE NINGUÉM VAI INVESTIGAR, O T.C PAIXÃO? O QUE MAS PRECISA ACONTECER, PARA ESSE CMDO"COMPRADO" FAZER ALGUMA COISA? M.P ACORDA! VOCES SÃO A VERGONHA DO RIO!#FICA A DICA!!

    ResponderExcluir
  5. AINDA TEM MAIS CORONEIS QUE ESTAM COM O BOLSO CHEIO APROVEITANDO DE SEUS CARGOS AGURDEM>

    ResponderExcluir