sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

ESTAGIÁRIAS DEMITIDAS POR CRITICAREM RENAN CALHEIROS


Estagiárias do Senado são demitidas após criticarem Renan na internet

Reportagem adverte que uma das jovens é sobrinha do presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa

15 de fevereiro de 2013 | 18h 54


Agência Estado SÃO PAULO - O desligamento de duas estagiárias do Senado está provocando debates nesta sexta-feira, 15, em Brasília. Conforme reportagem publicada pelo jornal "Correio Braziliense", duas estudantes foram dispensadas depois de terem postado na internet mensagens com conteúdo ofensivo em relação ao novo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A reportagem não cita nomes, mas adverte que uma das jovens é sobrinha do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa.As jovens teriam fotografado um rato encontrado morto nas dependências do Senado e postado a imagem na internet. Segundo informa o jornal, a imagem teria recebido a legenda: "E a gente que achou que o único problema aqui fosse o Renan Calheiros".A assessoria de imprensa da Secretaria Especial de Comunicação Social do Senado confirma o desligamento das duas estagiárias. Em nota, que não cita o nome das estudantes dispensadas e também não relata detalhes do episódio, informa que "além do conteúdo ofensivo da matéria, vale registrar que as estudantes postaram-na durante o horário de expediente, utilizando ferramentas de trabalho". O material destaca, ainda, que "o estágio é ato educativo, desenvolvido no ambiente de trabalho, destinado à preparação do educando para o trabalho produtivo" e que "nesse contexto, a Administração, ao tomar conhecimento de um ato de indisciplina, tem o dever de agir de acordo com as normas vigentes e em cumprimento ao Termo de Compromisso assinado pelas estagiárias".O Senado ressaltou também que, nos termos da lei, o estágio não cria vínculo empregatício de qualquer natureza entre o educando e a parte concedente. "Dessa forma, o desligamento de estagiário não se condiciona a abertura de processo disciplinar, sendo suficiente a caracterização da prática de ato incompatível com o ambiente de trabalho." 

Fonte: Estadão 

Onde é que fica a tal da liberdade de expressão? Será que o fato de uma das estagiárias ser sobrinha do presidente do STF motivou a ação punitiva? Episódio lamentável! Em nota oficial divulgada Renan Calheiros classifica campanha online por impeachment em seu desfavor como "saudável"e diz entender mensagens dos jovens, afirmando que foi líder estudantil e que também usava as ferramentas da época para pressionar. Qual será então o posicionamento do presidente do senado em relação as estagiárias desligadas? Porque se ele for realmente a favor da expulsão das meninas, há no mínimo  uma baita confusão ideológica no ar, pois para com cerca de 1,5 milhões de cidadãos que assinaram o abaixo assinado online clamando pelo seu impeachment, Renan Calheiros foi ameno e democrático, ao contrário do tratamento dispensado as estagiárias expulsas, que receberam uma dura retalhação por expressarem o que pensam.



Nenhum comentário:

Postar um comentário