Pular para o conteúdo principal

DEPOIS DA DENÚNCIA CORRERIA PARA "REMEDIAR"


Aperta o cerco aos taxistas

Fiscais flagram motorista que cobrava preço abusivo na rodoviária e lacram o veículo

Rio -  Após denúncia de O DIA, que mostrou na edição de domingo a extorsão de taxistas a turistas na Rodoviária Novo Rio, a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) realizou uma operação ainda ontem no local para monitorar a cobrança abusiva dos profissionais. Durante a ação, um taxista teve seu veículo lacrado e os documentos recolhidos pelos fiscais por cobrança abusiva.
O táxi dirigido por Mauro Sérgio Coelho é lacrado por um dos fiscais da Secretaria Municipal de Transportes | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia
O táxi dirigido por Mauro Sérgio Coelho é lacrado por um dos fiscais da Secretaria Municipal de Transportes | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia
Mauro Sérgio Coelho, que dirigia um Palio, estipulava um preço de R$ 90 a um casal para deixá-los na Barra da Tijuca quando foi surpreendido em flagrante pelos fiscais. Ele não era o titular da autonomia e não poderá voltar a trabalhar como taxista. O veículo ficará vedado e com a documentação retida até que o permissionário o submeta a uma nova vistoria.
A informação de que fiscais estavam no local parece ter se espalhado rapidamente. Em alguns minutos, os taxistas desapareceram do entorno da Rodoviária, criando filas de espera. Muitos motoristas também disseram não poder fazer mais lotações após a publicação da reportagem.
Para o secretário municipal de Transportes, Carlos Osório, o caos do sábado se deu por conta da demanda de ônibus acima da suportada pela rodoviária, o que teria gerado um colapso. A fim de apurar as responsabilidades, ele prometeu mais providências. “Admito o problema de sábado na rodoviária. Em resposta, vou convocar uma reunião com a concessionária da Novo Rio e a Secretaria Estadual de Transportes. Vamos apurar o que houve”, disse.
Fiscalização em locais turísticos
A operação volante Táxi-Legal cobriu outros pontos associados a irregularidades. No Pão de açúcar, 12 motoristas foram multados por fazer lotadas em carros particulares e um taxista foi cassado por cobrar valor pré-fixado. No Corcovado, um táxi pirata foi rebocado e o seu motorista responderá criminalmente. No porto, foram feitas 197 vistorias, com 21 carros lacrados por mal estado de conservação ou documentação irregular. A blitz esteve no Sambódromo durante a madrugada. “A cidade nunca teve tanto zelo por essa questão”, garantiu Carlos Osório.

Após a denúncia realizada pela imprensa a Secretaria Municipal de Transportes resolveu atuar, lacrou carro , multou outros, o secretário tentou explicar o motivo do caos,  em fim, foi preciso dar uma satisfação para a sociedade. Esperamos  que quando a poeira baixar a pouca vergonha não recomece, que as fiscalizações continuem eficazes,  para que o povo não continue pagando o pato pelo descaso, pela ineficiência de uma fiscalização que falhou, haja vista, a tão relevante denúncia realizada pela imprensa.  

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas