segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

APOSENTADOS! CUIDADO! QUEREM PIORAR AINDA MAIS SUA SITUAÇÃO




FOLHA DE SÃO PAULO 
5 Estados já não garantem aposentaria integral 
Previdência complementar é estratégia para reduzir um rombo de R$ 33 bilhões por ano 
ESTELITA HASS CARAZZAI DE CURITIBA 
Próximos do limite de gastos com pessoal e com margem reduzida para investimentos, governos estaduais, seguindo o exemplo federal, começaram instituir neste ano a previdência complementar para servidores. 
Tal ação visa aliviar o caixa dos Estados. Assim como no nível federal, novos servidores estão submetidos ao teto da aposentadoria do INSS e só podem ultrapassá-lo se contribuírem para o novo fundo. 
Esse sistema diminui, no longo prazo, o gasto dos governos estaduais com aposentadorias. A despesa consome, em média, cerca de 20% das receitas dos Estados. 
É um percentual significativo, já que só 49% das receitas podem ser gastas com pessoal, segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal. 
"Não sobra quase nada, fica muito pouco para investimentos", diz o advogado Flavio Rodrigues, especialista em legislação previdenciária que foi presidente da Rioprevidência (fundo de previdência do Rio) entre 1999 e 2002. 
Na União, a aposentadoria dos servidores gera um deficit anual de R$ 62 bilhões e já é uma das principais despesas do governo, o que prejudica as contas públicas. 
O primeiro Estado a implantar o sistema foi São Paulo, em 2011. Agora, Rio, Ceará, Espírito Santo e Minas Gerais já o instituíram. 
O governo federal também pretende implantar o PrevFederação, instituição que irá reunir os Estados e municípios sem condições de criar seu próprio fundo de previdência complementar. 
CRISE 
O Ministério da Previdência já compara o problema à crise da dívida dos Estados da década de 1990. 
"Há a possibilidade de a União, em breve, ter de socorrer Estados e municípios em situação insustentável por causa das previdências", disse o secretário nacional de Políticas de Previdência, Leonardo Guimarães, em audiência recente no Senado. 
Para especialistas, o regime complementar é uma saída "fiscalmente responsável" para aliviar o peso das previdências estatais. 
Só neste ano, elas devem consumir R$ 33 bilhões. É dinheiro que deixa de ser aplicado em educação, em saúde ou em infraestrutura. 
"Esse sistema [de previdência complementar] desonera o governo e, por consequência, a sociedade", diz a secretária de Planejamento de MG, Renata Vilhena. 
Para o gestor do projeto no Espírito Santo, Alexandre Neves, trata-se de "um caminho que todo mundo vai ter que seguir. Isso vai possibilitar o aumento da poupança interna e da capacidade de investimento dos Estados, hoje muito pequena" (Fonte).

REVEILLON 2013/2014 - A FESTA NÃO É GRÁTIS...



A orla do estado do Rio de Janeiro será ocupada por milhões de pessoas na passagem de ano (2013/14). Shows e queimas de toneladas de fogos de artifício animarão as festas amanhã por todo litoral fluminense.
Festas lindíssimas que atraem turistas nacionais e internacionais.
A alegria contagia a todos e a todas nas praias, como também contagia as famílias que reunidas em clubes, em hotéis e principalmente, reunidas no ambiente mais agradável, ou seja, em seus lares, festejam a chegada do novo ano. 
Tudo lindíssimo. 
Desejo que todos se despeçam de 2013 com alegria e recebam 2014 com o coração repleto de saúde, paz, amor e esperança. 
A esperança de juntos construirmos um Rio de Janeiro muito melhor em 2014.
O Rio que precisamos e o Rio que merecemos.
Lembro que como ocorre nos festejos realizados nos lares, nos clubes e nos hotéis, nada é grátis, tudo gera despesas.
Não se esqueça que você está pagando por todos os shows artísticos e todas as queimas de fogos que ocorrem nas orla, esteja você lá ou não.
Nada é grátis, como querem que você acredite.
Não se deixe enganar, divirta-se, mas tenha consciência que você paga e paga caro por tudo isso.
A cada espoucar de fogos, a cada nota musical, uma parte do seu dinheiro vai junto encoberta pela fumaça. 

A DESMILITARIZAÇÃO DOS CORPOS DE BOMBEIROS



Um tema que tem sido recorrente nos protestos, desde os que ocorreram reunindo milhões de pessoas até os que continuam ocorrendo em escala muito reduzida pelo país, trata-se da desmilitarização das Polícias Militares.
Nas ruas gritam pela desmilitarização já!
No mundo acadêmico, a maioria quer a desmilitarização, embora existam vozes minoritárias que são contra.
Tudo indica que a maioria dos Praças é favorável à desmilitarização. No tocante aos Oficiais as opiniões parecem divididas.
Nesse quadro ainda confuso, uma coisa é certa: desmilitarizadas as Polícias Militares, desmilitarizados também serão os Corpos de Bombeiros Militares.
Diante dessa verdade, o que pensam os Bombeiros?
São a favor?
São contra?
Nós, Bombeiros Militares, não podemos ficar alheios a essa discussão, caso contrário, a solução dada por terceiros cairá no nosso colo com o famoso: cumpra-se.
É hora de pensar a respeito.
É hora de conversar a respeito.
É hora de nos posicionarmos a respeito.
Nós temos o direito de sermos ouvidos e de expressarmos a nossa opinião.
Opine, mande seu comentário.
Não podemos esquecer do samba de Beth Carvalho:
"Camarão que dorme, a onda leva".

sábado, 28 de dezembro de 2013

EDUARDO PAES DESRESPEITA AYRTON SENNA E NELSON PIQUET



Amanhã é domingo, dia de acordar cedo e ir com a família para a frente do televisor.
É dia de ver Nelson Piquet.
É dia de ver Ayrton Senna.
Eles e as suas máquinas vitoriosas.
Ambos ganharam títulos mundiais, ambos venceram GPs do Brasil.
Todo domingo era assim, mas não é mais.
Piquet continua conosco. Ayrton é uma saudade enorme.
O brasileiro é carente de ídolos, sobretudo de ídolos que possam servir de exemplo para as novas gerações, ídolos com uma vida que pode servir como referencial.
Eles ocupam esse lugar, o espaço dos imortais, aqueles que nunca morrerão na mente dos seus admiradores, ainda mais daqueles que tiveram o prazer de vê-los correr pelas pistas do mundo.
Quem não viu Senna aproveite para vê-lo vencendo um Grande Prêmio do Brasil.
.

Eles são a cara de um Brasil vencedor, um Brasil corajoso e um Brasil limpo.
Senna deve ser referenciado, assim como, Nelson Piquet, outro ídolo do automobilismo mundial e que emprestou seu nome ao Autódromo de Jacarepaguá: o Autódromo Internacional Nelson Piquet.
Infelizmente, a gestão Eduardo Paes transformou o Autódromo Nelson Piquet, onde Ayrton Senna correu em 1988, nisso:


A última corrida no Autódromo Nelson Piquet aconteceu no dia 28 de outubro de 2012.
É um desrespeito à Nelson Piquet e uma ofensa à Ayrton Senna, em face do descaso dos políticos como Eduardo Paes, que prometem e prometem, mas não materializam um novo autódromo para a cidade do Rio de Janeiro..
Os amantes do automobilismo ficam sem templo na cidade que vai sediar a Copa 2014 e as Olimpíadas 2016.
Ayrton Senna sobreviverá para sempre, um novo autódromo Nelson Piquet será construído, não podemos permitir a continuidade dessa ofensa aos dois grandes pilotos que estiveram conosco em tantas manhãs de domingo.
Sorte nossa que ao contrário de Senna e de Piquet, Eduardo Paes e todos (todas) políticos que estão postergando a reconstrução do autódromo, logo serão esquecidos.
Amanhã é domingo, dia de acordar cedo e ir com a família para a frente do televisor.
Saudade.

DEPUTADOS DE CARRO NOVO, POVO DE ÔNIBUS VELHO



A ALERJ, presidida pelo deputado estadual Paulo Mello (PMDB), irá renovar a frota de carros. 
Serão 70 (setenta) novos veículos, cada um com o valor estimado em R$ 70.594,00, segundo o registro de preços publicados. Como não só os deputados tem esse "direito", estima-se um gasto no valor de R$ 7.000.000,00.
A Mesa Direta prefere os modelos Jetta e Renault Fluence.



Enquanto isso a população segue sofrendo nos péssimos transportes públicos.
Cabe esclarecer que a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro não compra veículos para uso dos Vereadores.
Fonte: Jornal Extra - Berenice Seara

CIDADE MARAVILHOSA: NATAL COM ESGOTO NA PORTA


Fonte: Jornal O Dia

2013: EXCELENTE NOTÍCIA! CABRAL CONFIRMOU A SAÍDA



A população do Rio de Janeiro não tinha nada para comemorar na passagem 2013/2014, enquanto 24 toneladas de fogos de artifício serão consumidas apenas na Praia de Copacabana.
Os serviços públicos essenciais vão de mau a pior: a saúde, a segurança, a educação e os transportes públicos continuam lastimáveis.
Nem as jóias da coroa, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) se salvaram nessa gestão desastrosa
O "Cadê Amarildo" ainda ecoa na Rocinha e em todas as ruas do Brasil.
Aliás, nem Amarildo, nem os 35.000 desaparecidos do governo Cabral estarão em Copacabana.
Como não a mal que sempre dure, surge ao apagar das luzes a notícia tão aguardada pelos milhões de cidadãos que escolheram o Rio de Janeiro para viver com suas famílias: o governador Sérgio Cabral confirmou a saída, marcada para o dia 31 de março de 2014.
Finalmente, algo para comemorar no Rio de Janeiro.
(Fonte: O Fluminense)

CIDADÃO, HORA DE CONSULTAR O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR



As festas natalinas ficaram no passado e estamos nos preparando para os festejos da passagem de ano, desejando que 2014 seja muito melhor para a sofrida população brasileira, órfã de governantes que não direcionam as suas ações para a promoção do bem comum.
É tempo de receber e de dar presentes, mas também é tempo de trocar presentes.
No intuito de facilitar a interação com os comerciantes, disponibilizo o "Código de Defesa do Consumidor", comentado.
Qualquer dúvida acesse o link e busque os esclarecimentos necessários.
Lembro que todo estabelecimento comercial deve possuir um exemplar desse código para que os consumidores possam consultar.
Boas trocas (Link).
(Fonte: Direito com ponto com).

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

UPPs - "A GENTE NÃO QUER SÓ POLÍCIA"


Eu já tratei do assunto, mas sou obrigado a voltar a ele em razão dos resultados de uma pesquisa realizada pela FIRJAN. 
Além da insegurança que continua marcando a vida dos moradores das comunidades pacificadas, onde os tiroteios continuam acontecendo, uma reclamação diz respeito a instalação de um "estado policial", onde a única ação do governo do Rio de Janeiro é colocar a Polícia Militar nas comunidades, onde os comandantes de UPPs atuariam como "prefeitos", dizendo o que pode e o que não pode.
Moradores reclamam, por exemplo, da construção de teleféricos, obras caríssimas, sem que fossem ouvidos, tendo em vista que as prioridades de investimentos são outras na visão deles.
A pesquisa da FIRJAM revelou que 12% dos jovens com menos de 18 anos residentes nas comunidades com UPPs, não trabalham e nem estudam. Pior, após a maioridade esse índice sobe para 30% e se mantém até os 29 anos.
A pesquisa foi realizada nas seguintes comunidades:
- Jacarezinho, Manguinhos, Mangueira, Prazeres/Escondidinho, São Carlos, Vidigal e Coroa/Fallet/Fogueteiro.
"A gente não quer só polícia".
(Fonte: Jornal Destak).

OPORTUNIDADE - CURSO GRATUITO - MOTORISTA DE ÔNIBUS



A Escola Pública de Trânsito está com inscrições abertas, isso até o dia 4 de janeiro de 2014, para o curso de motorista de transportes coletivos de passageiros, o qual é obrigatório para o exercício da profissão de motorista de ônibus. A escola funciona  na Avenida Mem de Sá, 163, Lapa, Centro do Rio de Janeiro.
As aulas são gratuitas e o curso é de 50 horas.
As inscrições podem ser feitas através do site:
Os candidatos devem preencher as seguintes condições:
- Ter mais de 21 anos.
- Habilitação categoria D.
- Bons antecedentes criminais.
- Não estar cumprindo suspensão da carteira ou respondendo processo de cassação.
O curso começará no dia 6 de janeiro.
Eis uma boa oportunidade.
(Fonte: Jornal Meia Hora)

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

O NATAL DO TIROTEIO E O SALÁRIO DE MISÉRIA DOS GUARDAS MUNICIPAIS



As balas perdidas estão de volta com uma frequência assustadora, o que conduz a construção do medo no seio da população. Basta ouvir um som semelhante a um disparo de arma de fogo, para que todos entrem em pânico nas proximidades.
Nada menos do que sete pessoas foram feridas por balas perdidas nos últimos três dias, isso no Rio de Janeiro e em Niterói.
Infelizmente, ocorreu uma vítima fatal, uma menina de apenas onze anos foi morta por uma bala perdida, isso no bairro de Colégio, situado no município do Rio de Janeiro.
Novamente, as UPPs, o retrato da "pacificação" prometida pelo governador, aparecem nas estatísticas: dois casos ocorreram em comunidades onde foram instaladas UPPs.
Diante dessa tragédia que se transformou a insegurança pública no estado do Rio de Janeiro, fica a pergunta:
- Por que o governador não troca o secretário de segurança?
Ele está no cargo há sete anos, agigantou o efetivo da Polícia Militar com milhares de novos PMs para instalar as UPPs, mas o estado do Rio de Janeiro continua sendo um lugar muito perigoso para se viver, melhor, para conseguir sobreviver.
Inclusive é bom lembrar que a comunidade da Rocinha, a qual conta com uma UPP com 700 PMs no efetivo, número bem maior que o da maioria dos Batalhões de Polícia Militar, continua violentíssima com a ocorrência de tiroteios frequentes entre PMs e traficantes e entre traficantes. Ontem, ocorreu mais um confronto e uma viatura da Polícia Militar foi apedrejada.
O denominado "policiamento de proximidade" de Beltrame, efetivamente não está funcionando.
Até quando iremos insistir errando?
Enquanto isso, o prefeito Eduardo Paes paga R$ 750,00 de gratificação a cada PM (funcionário estadual) que trabalha nas UPPs e paga muito mal aos Guardas Municipais (funcionários municipais).
"Hoje o salário do Guarda Municipal da cidade do rio de janeiro é um dos mais baixos pago a categoria a nível Nacional (União dos Subinspetores da GMRio)".
Luto e lutarei sempre pela valorização dos Guardas Municipais, heróis que desarmados convivem com a violência de uma cidade insegura.

CABRAL NO TEMPO DA MÁQUINA DE ESCREVER



Os moradores de São Gonçalo ainda não puderam comemorar a inauguração da Delegacia Legal e da DEAM. Prometidas pelo governador Sérgio Cabral para esse ano, elas ainda não foram entregues à população. Enquanto isso os Policiais Civis continuam trabalhando no antigo 3o Batalhão de Infantaria do Exército Brasileiro e pasmem leitores, continuam usando máquinas de escrever. 
Um estado que pretende realizar a Copa 2014 e as Olimpíadas 2016 não pode continuar vivendo no século passado, causando prejuízos para o trabalho da Polícia Civil e para a população sofrida do nosso estado.
Não custa lembrar que o município de São Gonçalo padece também coma falta de efetivo no 7o BPM, o que impede a realização adequada do policiamento ostensivo e facilita a ação dos criminosos que migraram das áreas nobres do Rio de Janeiro para outros municípios.
Segurança pública não se faz com propaganda na televisão. 
Segurança pública se faz com policiais valorizados e qualificados, dispondo de boas condições de trabalho.
(Fonte: Extra, Extra - Berenice Seara).

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

REGIÃO SERRANA: GOVERNO CABRAL DÁ "PRESENTE" DE NATAL PARA AS VÍTIMAS



A jornalista Berenice Seara publica nesse dia de Natal uma nota na sua coluna "Extra, Extra" dando conta que nesse final de ano o governo Cabral publicou um decreto que regulamenta benefícios para as vítimas da tragédia que se abateu sobre a Região Serrana, isso em 2011, na qual morreram centenas de pessoas. 
O governo Cabral só dará casa nova a quem atender a uma série de requisitos, entre eles o fato de ter renda até R$ 3.275,00 e não haverá indenização para o comércio.
Diante disso eu faço uma pergunta: 
- Para quem governa Sérgio Cabral?
Você sabe a resposta?
Os professores cantaram nas ruas do Rio de Janeiro:
- Tem dinheiro prá empreiteira, mas não tem prá educação.
Qual é a sua opinião?
Foto: Uol

COMO MORRE UMA ESCOLA - PROFESSOR EDUARDO PAPARGUERIUS


Uma verdadeira catástrofe que acomete o povo brasileiro, governo após governo, quer seja de forma imediata, quer seja com relação ao futuro, trata-se da péssima educação pública que os governantes oferecem. 
Os maus governantes estão matando o futuro de gerações, sepultando o futuro do Brasil, quando fazem gestões desastrosas na área da educação pública nos três níveis: federal, estadual e municipal.
O primeiro passo que dão na direção de jogar o país no abismo do analfabetismo funcional, algo que se instala com uma rapidez assustadora, sem dúvida, diz respeito à desvalorização dos profissionais de educação pública.
Não bastasse isso, temos o descaso com os alunos e com as escolas.
Eu sempre me pergunto que força interna gigantesca move esses homens e mulheres que trabalham na educação pública para seguirem, diariamente, superando todas as dificuldades na busca da reversão dessa tragédia.
São seres especiais da criação divina, não resta dúvida.
Para materializar essa verdade publico o artigo do professor Eduardo Paparguerius: Com o morre uma escola.
Um lamento e uma súplica em defesa da educação pública de boa qualidade:
O DIA 
22/12/2013
Eduardo Paparguerius: Como morre uma escola
Em 2002, quando fui trabalhar no Colégio Estadual Herbert de Souza, a principal reclamação dos professores era a superlotação. De fato era duro, mas no fundo eu gostava
Rio - Em 2002, quando fui trabalhar no Colégio Estadual Herbert de Souza, a principal reclamação dos professores era a superlotação. De fato era duro, mas no fundo eu gostava. Tinha orgulho da profissão ao ver a importância que o Turano dava ao nosso trabalho. Hoje, tudo mudou: leciono para turmas com até seis alunos; nossa evasão atinge números estratosféricos. Das 20 turmas de 1ª série que começaram o ano, 12 foram fechadas ainda no 1º bimestre. As que restaram estão muito desfalcadas e a intenção dos restantes é sair do colégio em massa no ano que vem. Talvez não façam mais que uma turma de 2ª série em 2014. 
Outra: este ano fomos brindados com a inclusão no projeto de Ensino Médio Inovador, que consiste em aumentar a permanência dos alunos no colégio, das 7h às 12h para das 7h às 17h. Você certamente vai ouvir na campanha eleitoral que a educação está melhorando, que foram criadas tantas vagas de horário integral. 
Quer saber o que aconteceu na prática, cidadão? A receita do fracasso: trancafie centenas de jovens de comunidades carentes entre muros; mantenha-os com fome, servindo coisas do tipo arroz com ovo no almoço e uns biscoitos com refresco no lanche; garanta que pelo menos a metade do seu tempo seja ocioso, com muitas aulas vagas e projetos educacionais que só existem no papel. Eis o caminho para meu querido Herbert de Souza entrar na extensa lista de escolas fechadas na atual gestão. Já correm boatos que parte das instalações pode ser ocupada pela Secretaria Estadual de Educação. Quem sabe não botam lá uma delegacia, como na Rocinha? 
Meu concidadão, não deixe a nossa escola pública fracassar! Frequente as reuniões de pais, exija bom serviço. Nós, professores, não temos medo de ser cobrados, precisamos sim é do povo dentro da escola, acompanhando de perto a formação das novas gerações. Somente assim a Educação vai passar a ser prioridade de fato e não apenas no discurso demagógico de políticos.
Professor do CE Herbert de Souza, jornalista e artista (Fonte).

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

FAIXA DE NATAL EM MADUREIRA ALUSIVA À EDUARDO PAES

Foto: @jose_simao

ESCÂNDALO NO DETRAN ATINGE A BASE DO GOVERNO CABRAL



O governador Sérgio Cabral recebeu mais um golpe forte com a publicação das denúncias que dão conta do possível envolvimento de um deputado estadual da sua base na ALERJ. Um aliado de tanta expressão que foi um dos integrantes da delegação do Brasil na escolha da sede para as Olimpíadas 2016. 
O deputado citado é o Coronel Jairo (seta).
O escândalo é gigantesco.
A matéria fala por si.
JORNAL O DIA: 
Denúncia liga deputado à corrupção no Detran Coronel Jairo indicou genro, que levou parentes para postos estratégicos usados no esquema
JOÃO ANTONIO BARROS E LUISA BUSTAMANTE 
Rio - A teia do crime. A Justiça do Rio de Janeiro tem em mãos evidências do gerenciamento político de um dos maiores esquemas de corrupção descobertos no Detran. Gravações telefônicas e depoimentos à 1ª Vara Criminal de Santa Cruz ligam o deputado estadual Coronel Jairo (PMDB) à quadrilha que movimentava R$ 2 milhões por mês na legalização de carros irregulares. O grupo tinha 181 pessoas — funcionários do departamento de trânsito, despachantes e policiais.
Presa na Operação Cruzamento, há dois meses, uma ex-funcionária, com 13 anos de serviço no Posto do Detran de Campo Grande, contou à juíza Regina Célia Moraes de Freitas como a quadrilha agia e qual era o papel de cada um no esquema. O grupo, segundo a testemunha, foi indicado pelo deputado Coronel Jairo — chamado de “o dono do Detran de Campo Grande” — para trabalhar na empresa Facility — responsável pelo recrutamento dos funcionários tercerizados do posto. 
Entre os 22 empregados do Detran de Campo Grande que, segundo a testemunha, “indicados” pelo deputado, quatro são parentes de Hélio Oliveira, genro do parlamentar: os irmãos Sandro e Alexandre Afonso, a cunhada Glauciele Paes e o “compadre” Fagner Gomes. 
O quarteto era encarregado por cobrar as propinas. Sandro e Fagner coordenavam os turnos da manhã e da tarde e exigiam diária de R$ 50 de cada vistoriador. A caixinha era uma espécie de pedágio para trabalhar nos guichês onde passavam táxis, vans e carros alugados — classificados como os mais fáceis de ter irregularidades e candidatos a pagar boas propinas pela vista grossa. Os funcionários que se recusavam a arrecadar dinheiro — para não atrapalhar a quadrilha — iam para guichês de emplacamento, com baixa possibilidade de irregularidade. 
O esquema era supervisionado pelo chefe do posto, Flávio Tomelin, outra indicação do Coronel Jairo. De acordo com a testemunha, o deputado passou a “controlar” o Detran de Campo Grande em 2008, após a prisão dos irmãos Jerominho e Natalino Guimarães, por ligações com a milícia. 
Propina usada em campanha Parte do dinheiro arrecadado com as propinas era destinada à campanha política. Em depoimento na 1ª Vara Criminal de Santa Cruz, a ex-funcionária do Detran garante que é comum em todos os postos do Detran do Rio recolher dinheiro para ajudar políticos encarregados da nomeação. Sustentou, inclusive, que em 2012 a candidatura do vereador Jairinho (filho do Coronel Jairo) recebeu ajuda financeira e apoio logístico dos envolvidos no esquema. 
A testemunha descreve as reuniões organizadas às vésperas da eleição pelo diretor do posto, Flávio Tomelin, para, segundo ela, obrigar os funcionários a conseguir votos de parentes e amigos para o candidato Jairinho. Sem contar a entrega de fichas com dados pessoais e idas a comitês de campanha de Jairinho em Campo Grande e Bangu. O elo entre o deputado e Jairinho com o posto do Detran era feito por Hélio Oliveira. Segundo a testemunha, era ele quem comandava os comitês eleitorais (Leia mais).

DELEGADO É A NOVA VÍTIMA DA "PACIFICAÇÃO"



A notícia é muito ruim, o delegado da Polícia Civil Rubens Eduardo da Costa Campos foi vítima de um assalto na Tijuca, reagiu e acabou baleado. O seu estado é grave, segundo o noticiário. A senhora que o acompanhava também foi baleada.
As ruas do Rio de Janeiro estão inseguras, essa é agrande verdade.
É preciso repensar com urgência a forma como está sendo gerida a segurança pública no Rio de Janeiro, algo que não pode se resumir a colocação de quase 10.000 PMs em comunidades carentes na Capital, abandonando as ruas e os outros 91 municípios que integram o estado.
O povo não vai ter segurança por meio de manchetes da imprensa que supervalorizaram as UPPs, isso só serve para alavancar campanhas políticas. O povo precisa de policiamento ostensivo preventivo nas comunidades e nas ruas, isso na Capital e em todos os municípios do estado do Rio de Janeiro.
Eu fico fazendo a minha parte na tentativa de promover as mudanças que são indispensáveis para termos um Rio seguro de verdade me não apenas no papel dos jornais e revistas, assim como, nos programas televisivos. É hora de elevar nosso pensamento à Deus e pedir pela recuperação do delegado, a mais nova vítima da "pacificação¨ promovida pelo governador Sérgio Cabral e pelo secretário de segurança Beltrame.
O jornal O Dia noticiou:
"JORNAL O DIA
Delegado baleado respira por aparelhos e está em estado gravíssimo
22/12/2013
 Delegado baleado respira por aparelhos e está em estado gravíssimo Rubens Eduardo da Costa Campos reagiu a um assalto na Rua Dulce, na Tijuca
DIEGO VALDEVINO
Rio -O delegado da Polícia Civil Rubem Eduardo da Costa Campos, de 55 anos, foi baleado três vezes — na cabeça, no ombro e na coxa direita — no sábado à noite na Tijuca. De acordo com testemunhas, o policial reagiu a uma tentativa de assalto e feriu o assaltante, que, mesmo assim, conseguiu fugir. Mônica Braga Maia, que estava no banco do carona do carro do policial, também foi baleada, na barriga, mas, segundo os médicos, não corre risco de vida. Até a noite de ontem, o estado de saúde do delegado era considerado gravíssimo.
O crime aconteceu na Rua Dulce, por volta das 21h30. Campos, que trabalha na Delegacia Supervisora, e Mônica foram levados ao Hospital Souza Aguiar, no Centro e estão no Centro de Tratamento Intensivo (CTI). Ele respira com a ajuda de aparelho artificial; ela foi operada e seu quadro é considerado estável" (Leia mais).

domingo, 22 de dezembro de 2013

O QUE ESTÁ ACONTECENDO NAS UPPs?



O que está acontecendo nas UPPs? 
Tenho certeza que boa parte da população fluminense está se perguntado sobre isso, considerando os fatos que a imprensa tem noticiado nos últimos meses.
O projeto das UPPs foi apresentado pelo governo Sérgio Cabral como sendo maravilhoso. Os Policiais Militares que trabalhariam nas comunidades carentes teriam uma preparação especial para atuar nesses locais onde as carências são inúmeras. O treinamento foi identificado pela expressão "policiamento de proximidade", palavras que são repetidas em todas as entrevistas concedidas pelas autoridades da área da segurança pública.
Sinceramente, a expressão perdeu inteiramente o sentido após as várias denúncias que passaram a ser publicadas na imprensa, sendo que a de maior repercussão negativa foi o desaparecimento do senhor Amarildo, morador da Rocinha. Policiais Militares treinados em "policiamento de proximidade" estão sendo acusados de tê-lo torturado, matado e ocultado o cadáver.
O caso ainda repercutia na imprensa quando surgiram as denúncias contra Policiais Militares da UPP de Manguinhos, acusados de provocar a morte de um jovem.
Dias atrás um Policial Militar da UPP de Manguinhos foi acusado de ter efetuado um disparo que matou um senhor de mais de oitenta anos.
Hoje, surge outra denúncia: 
"JORNAL O DIA:
23/12/2013 00:08:28 
PMs da UPP São Carlos são presos acusados de roubar mulher 
Moradora afirma que soldados levaram R$ 540 dela após a prisão do filho 
ATHOS MOURA E MARIA INEZ MAGALHÃES 
Rio - Soldados da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do São Carlos, no Estácio, Tarso Ricardo Macedo Rabello de Mendonça, de 29 anos, e Andrey Pessoa Ross, de 31, acabaram presos sábado à tarde, acusados de roubar uma moradora logo após prenderem o filho dela, Felipe Barbosa de Oliveira, sob acusação de tráfico de drogas. No momento da prisão, houve confusão e tiros foram disparados. A Polícia Civil, em nota, disse que os militares confessaram o roubo. 
Além desse crime, um dos PMs vai responder por abuso de autoridade, lesão corporal e disparo de arma de fogo. Eles já estão presos na Unidade Prisional, antigo BEP, em Benfica. Segundo a vítima contou na 17ª DP (São Cristóvão), ela foi roubada durante revista dos PMs. Felipe tem passagem por uso de entorpecente. A moradora afirmou que estava com R$ 540 (Leia mais)".
Além, disso, os confrontos armados são constantes com traficantes e vários Policiais Militares já morreram e forma feridos.
O que está acontecendo com as UPPs?
Policiar as comunidades carentes é imprescindível, mas está cada dia mais evidente que o projeto está sendo mal gerido e não está alcançando sues objetivos.
É hora de mudar o gestor.

AUMENTO DOS ÔNIBUS: PAES VOLTA ATRÁS. ELE "ACUSOU O GOLPE" DADO PELOS MANIFESTANTES



O prefeito Eduardo Paes (PMDB) "acusou o golpe".
Uso essa expressão comum nos esportes que envolvem confronto físico, sendo mais comum no boxe, para materializar a reação do prefeito. Ela significa que após um golpe aplicado, quem recebeu não consegue esconder que o golpe provocou danos. Isso age como um sinal para o adversário ir em frente para concluir a luta com um golpe final.
A mudança de postura do prefeito demonstra que o protesto realizado no Centro do Rio de Janeiro contra o aumento das passagens da passagem dos ônibus foi um golpe certeiro. Ele deve ter pensado sobre os próximos atos que seriam programados e o profundo desgaste político que eles produziriam no próximo ano, um ano eleitoral.
Eu escrevi sobre o tema em artigo anterior:
"Quem não lembra da onda de protestos que percorreu todo o Brasil nesse 2013 que se aproxima do final?
Milhões de pessoas foram para as ruas protestar contra a situação atual do Brasil, um país que era citado como sendo o país do futuro e que parece estar perdendo o seu futuro, em razão dos maus gestores políticos.
Quem não lembra da Avenida Presidente Vargas, situada no Centro do Rio de Janeiro, tomada pelo povo do início ao fim, uma multidão próxima de um milhão de pessoas.
Quem não lembra que tudo começou em São Paulo, onde o povo  foi para as ruas protestar contra um aumento de R$ 0,20 centavos no preço da passagem dos ônibus?
Ontem, os protestos recomeçaram no Rio de Janeiro, exatamente pelo mesmo motivo: aumento no preço das passagens de ônibus.
O povo está de um lado nessa luta cidadã, enquanto o prefeito Eduardo Paes e os empresários dos transportes coletivos estão do outro lado".
Politicamente, ele não declarou que "acusou o golpe", isso seria um sinal de fraqueza, uma dica para o avanço das manifestações. Ele empurrou o problema para o Tribunal de Contas do Município, transferiu a responsabilidade pelo aumento futuro para o tribunal.
O jornal O Globo fez eco ao discurso de Paes:
"Paes acatará decisão do TCM sobre aumento da passagem de ônibus 
No início de dezembro, o prefeito anunciou a revisão no valor das tarifas para o próximo ano. 
TCM divulgou nota contra a decisão".
O jornal O Dia deixou claro a intenção do prefeito:
"Ele afirmou que vai esperar a auditoria sobre o serviço de ônibus da cidade — por uma Comissão Especial — para autorizar ou não o reajuste".
Não resta dúvida, o prefeito não quer ser o responsável pelo aumento das tarifas.
Resta ao povo se manter "em guarda", outra expressão dos boxeadores, atento a tudo e a todos para não receber um golpe sem estar preparado para se defender.
Charge: Duke.

A LOUCA MATEMÁTICA DA SEGURANÇA PÚBLICA NO RIO DE JANEIRO



A cabeça do cidadão fluminense fica confusa diante da divulgação dos dados relativos a prática de ilícitos criminais no estado do Rio de Janeiro. Os resultados exibidos parecem ser exibidos ao gosto do freguês pela imprensa, mas nesse caso o freguês é o governo estadual e não os destinatário da segurança pública: o cidadão.
Em alguns momentos a imprensa compara ano com ano, mas também compara mês do ano atual com mês do ano passado e, finalmente compara a situação no ano com o mesmo período do ano anterior.
Eu sou favorável a exibição das estatísticas, informar à população é indispensável, mas deve existir um critério de modo a que todas as formas de avaliar sejam apresentadas em conjunto, isso para não gerar confusão.
Pego as estatísticas dos homicídios no estado do Rio de Janeiro, como exemplo.
No dia 20, portanto, dias atrás, divulgaram que os homicídios diminuíram 35,4% no estado.
Hoje divulgaram que os homicídios aumentaram 15% no estado.
O cidadão que não tem tempo de ler os artigos, em face da velocidade imposta pela vida e que acaba lendo apenas as manchetes, acaba ficando desinformado, não sabe qual é a verdade.
O site G1 divulgou que no período de 10 anos os homicídios diminuíram 35,4 no Rio..
O Jornal Extra divulgou que comparando o período de janeiro a setembro de 2012 com igual período desse anos, os homicídios aumentaram 15%.
É preciso organizar para informar adequadamente a população, considerando que o período citado pelo Site G1 (diminuição) alcança período anterior ao governo Sérgio Cabral, enquanto o período citado pelo Jornal Extra (aumento) é exclusivo do governo Sérgio Cabral.  

sábado, 21 de dezembro de 2013

RIO: AUMENTO NAS PASSAGENS DE ÔNIBUS GERA PROTESTO NO CENTRO




Quem não lembra da onda de protestos que percorreu todo o Brasil nesse 2013 que se aproxima do final?
Milhões de pessoas foram para as ruas protestar contra a situação atual do Brasil, um país que era citado como sendo o país do futuro e que parece estar perdendo o seu futuro, em razão dos maus gestores políticos.
Quem não lembra da Avenida Presidente Vargas, situada no Centro do Rio de Janeiro, tomada pelo povo do início ao fim, uma multidão próxima de um milhão de pessoas.
Quem não lembra que tudo começou em São Paulo, onde o povo  foi para as ruas protestar contra um aumento de R$ 0,20 centavos no preço da passagem dos ônibus?
Ontem, os protestos recomeçaram no Rio de Janeiro, exatamente pelo mesmo motivo: aumento no preço das passagens de ônibus.
O povo está de um lado nessa luta cidadã, enquanto o prefeito Eduardo Paes e os empresários dos transportes coletivos estão do outro lado.
Quem vencerá?
Só depende de nós a conquista da vitória.
Será que os protestos recomeçarão no Brasil?
Motivos não faltam.
Eu apoio os protestos organizados, ordeiros e pacíficos.
O jornal O Globo publicou uma matéria sobre o protesto:
"O GLOBO
Manifestantes protestam no Centro contra aumento das passagens
Cerca de 500 pessoas fizeram ato em frente à Alerj
Gustavo Goulart
RIO - Um grupo de manifestantes que estava em frente ao prédio da Assembleia Legislativa do Rio, no Centro, deixou a Avenida Primeiro de Março e seguiu pela Avenida Presidente Vargas, na noite desta sexta-feira. Por volta de 23h o grupo se posicionou nas cercanias do antigo Museu do Índio, no Maracanã. O museu, ocupado até o início desta semana por indígenas, está cercado por policiais..
Por volta das 20h, cerca de 500 pessoas protestaram em frente à Alerj. Alguns manifestantes botaram fogo em pedaços de madeira no meio da via, que foi interditada (Leia mais)".
Charge: Bruno

EU VOTEI CONTRA A RIO SAÚDE. EDUARDO PAES DESISTE DA LICITAÇÃO.



O governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes, ambos do PMDB, têm como característica comum não investir nos servidores públicos, o funcionalismo. Via de regra, preferem "alienígenas" para gerir os serviços públicos, importando gestores para dirigir os destinos de áreas afetas ao serviço público. Não preciso explicar os motivos que fazem do servidor público de carreira, o melhor qualificado para gerir o serviço que conhece muito bem em face da experiência adquirida ao londo dos muitos anos de carreira. 
Paes criou a Rio Saúde.
Eu votei contra a criação da Rio Saúde.
Ele pretendia fazer uma licitação no valor de R$ 8.500.000,00 para entre outras tarefas, ouvir os usuários para saber o que eles querem. Como se todos nós não soubéssemos que a saúde pública é uma lástima no Rio de Janeiro, portanto, precisa de tudo.
De acordo com o jornal O Dia, o prefeito desistiu momentaneamente de fazer a licitação, mais uma vez aconselhado pelo Tribunal de Contas do Município (TCM), órgão que tem conseguido deter alguns impulsos de Eduardo Paes.
Não desistirei de lutar pela valorização do servidor público, contem comigo.
"JORNAL O DIA
Prefeitura volta atrás e suspende consultoria na saúde
Eduardo Paes desiste de fazer licitação para contratar, por R$ 8,5 milhões, empresa que ajudaria a criar mais um órgão público, o Rio Saúde
Christina Nascimento
Rio - A prefeitura informou nesta sexta-feira que decidiu suspender a licitação de R$ 8,5 milhões para contratar consultoria técnica que criaria a empresa pública Rio Saúde. Os valores gastos na montagem da estrutura e contratação de funcionário para o novo órgão é uma ‘caixa-preta’, já que não foram revelados pelo município. Nem mesmo o projeto de lei do Executivo, aprovado pela Câmara de Vereadores e que deu origem à empresa, detalha esses números.
A suspensão momentânea atende a uma recomendação do Tribunal de Contas do Município (TCM), que questionou o modelo de pregão para fazer a licitação. A concorrência deveria ter ocorrido na quinta-feira. De acordo com a Secretaria da Casa Civil, ainda não há nova data marcada. O valor da licitação, divulgado nesta sexta-feira pelo DIA , será usado para contratar serviços de consultoria técnica para a Secretaria Municipal de Saúde, além de 13 profissionais de diferentes formações e experiências profissionais para ajudar na elaboração do escopo da empresa pública (Leia mais)".
Charge: Latuff

PEZÃO DÁ RECADO PARA CABRAL, PARECE NÃO QUERER BELTRAME E QUER CRIAR MAIS UMA SECRETARIA



 
O pré-candidato ao governo do estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), escolhido pelo atual governador para ser seu sucessor, foi entrevistado pelo programa "Jogo do Poder", que ao vai ao ar amanhã na CNT, às 23:15 horas. O jornal O Dia publicou matéria sobre a entrevista nesse sábado assinada por Rozane Monteiro e tendo como título "Pezão quer criar secretaria para Região Metropolitana - Vice-governador adianta nomes que vai manter quando assumir em abril e tenta atrair PV" (Leia).
Interessante destacar que Pezão, segundo o contido na matéria não quer a continuidade de Beltrame, como secretário de segurança, considerando os colaboradores de Cabral que gostaria de manter: "Pezão citou o nome de dois colabores de Cabral que gostaria de manter (...). Os dois que serão mantidos na administração Pezão quando Cabral for cuidar da candidatura ao Senado são os Chefe de Gabinete do Vice-Governador, Vicente Guedes, e do secretário de governo (Wilson Carlos), Affonso Monnerat.
Ao justificar as razões para a criação da Secretaria da Região Metropolitana ele parece dar um recado para o governador Cabral, como se fosse um lamento, tendo em vista que Pezão é conhecido como um homem do Interior: "Não adianta a gente pensar só na cidade do Rio sem pensar na Região Metropolitana".
Eu estranhei a não citação do secretário de segurança Beltrame como uma das pretensões de Pezão, logo ele que é o homem forte da administração Cabral. Pode ter sido uma omissão na matéria, o que poderá ser confirmado ou não ao longo da entrevista que será exibida pela CNT.
Apesar de tal possibilidade, não podemos deixar de reconhecer que Beltrame está em queda, em face dos erros cometidos na gestão da segurança pública, mas ele tem sido alvo de uma campanha da grande mídia para enaltecê-lo como no passado, enquanto a "pacificação" das UPPs se desmancha na violência de cada dia.
Só nos resta aguardar a exibição da entrevista.
Charge: Aroeira.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

FORMATURA DO CSMAR/2013 - PARABÉNS, HERÓIS DAS ÁGUAS!



A população conhece os Bombeiros Militares como os "heróis do fogo", os bravos que enfrentam os incêndios, arriscando as próprias vidas para salvar a vida de pessoas que eles nem conhecem. Seres humanos que após terem sido salvos jamais esquecem dos anjos fardados que vencendo todas as dificuldades, conseguiram resgatá-los das chamas. 
Sim, os Bombeiros Militares são heróis quando atuam em incêndios, mas não só nesse momento, eles são heróis nas inundações, nos deslizamentos de encostas, nos desabamentos, nos acidentes de trânsito, enfim, são heróis sempre que alguém estiver precisando de socorro.




Onde houver um perigo, você verá todos tentando se afastar dele e verá os Bombeiros indo ao encontro do perigo para tentar salvar vidas.
Hoje eu fui levar o meu aplauso para os formados do Curso de Salvamento Marítimo (CSMAR/2013), os heróis que enfrentam o mar bravo para salvar vidas.
A cada formando, "heróis das águas", os meus sinceros parabéns e o meu pedido no sentido de que Deus esteja ao seu lado em cada salvamento.
Não é de conhecimento da população mas temos Bombeiros Militares no Rio de Janeiro que já salvaram milhares de vidas ao longo de suas carreiras.



ESPORTE: TORNEIO DE FUTSAL NO FOGUETEIRO



O esporte é reconhecido como um remédio para afastar a juventude dos maus hábitos, além de ser importante para a formação física e mental do ser humano. 
O Brasil está repleto de histórias bem sucedidas de jovens que nasceram em comunidades carentes e que através do esforço pessoal e do apoio recebido, conseguiram se transformar em verdadeiros ídolos nacionais nos mais diferentes esportes. 




Ontem, eu compareci na comunidade do Fogueteiro para apoiar os jovens que participaram de um torneio de futebol de salão, o futsal que tantas conquistas gerou para o Brasil, inclusive títulos mundiais.
Quem sabe um novo Falcão ou um novo Manoel Tobias, craques consagrados mundialmente, não estava fazendo as suas primeiras jogadas naquela quadra.
Eu apoio o esporte como uma maneira de construir o cidadão e de promover a cidadania.


EDUARDO PAES QUER AUMENTAR ÔNIBUS, POPULAÇÃO E TRIBUNAL NÃO QUEREM


O prefeito Eduardo Paes (PMDB) pretende aumentar o valor da passagem dos ônibus logo no início do ano. Ele alega que isso faz parte do contrato, porém tudo indica que encontrará uma série de obstáculos para concretizar o seu intento.
Primeiro, ele terá que enfrentar o descontentamento da população. Hoje inclusive está programado um protesto contra esse aumento, organizado pelo Movimento Passe Livre com concentração na Candelária, Centro do Rio de Janeiro, a partir das 17 horas.
Esse pode ser o primeiro de uma onde de protestos sobre esse tema, o que desgastará ainda mais a sua administração, assim como, a administração Sérgio Cabral, tendo em vista que não existe protesto no Rio que não tenha também um "Fora Cabral".
Além disso, o Tribunal de Contas do Município está aconselhando o prefeito a não aumentar o preço das passagens, como noticia o jornal O Dia:
JORNAL O DIA
Tribunal de Contas do Município (TCM) recomenda ao prefeito Eduardo Paes que não aumente a passagem de ônibus
Em sessão realizada nesta quinta-feira, conselheiros do Tribunal de Contas do Município (TCM) decidiram, por unanimidade, recomendar ao prefeito Eduardo Paes que não aumente a passagem de ônibus. Isto, até que seja concluída, pelo TCM, a análise do relatório da Comissão Especial criada em setembro para auditar o serviço de ônibus na cidade. 
Como o tribunal entrou em recesso, o assunto só deverá voltar a ser discutido na segunda quinzena de janeiro. O TCM é responsável pelo controle externo da prefeitura.
Passagens poderão aumentar em janeiro
Irregularidades
Autor da proposta de adiamento do reajuste, o conselheiro Ivan Moreira frisa, no memorando que acabou aprovado pelo TCM, a existência de “irregularidades e obscurantismo” nessa “mobilidade de serviço público”.
Dificuldades
Ele ressalta que a Comissão Especial — que analisa, entre outros pontos, o preço da passagem — tem enfrentado problemas, entre eles, dificuldade de obtenção de dados junto à prefeitura e às empresas concessionárias do serviço. Diz também que há demora no encaminhamento das informações.
Sem padronização
Segundo Moreira, há falta de homogeneidade de alguns dados e falta de padronização de metodologias de coleta de informação. Isto impossibilitaria a análise de uma série histórica e a comparação “entre diferentes bases de dados”. Reclama também da remessa de “grande volume de documentação não solicitada em contraposição a outras”.
Aprofundamento
No documento, o conselheiro destaca a necessidade do “aprofundamento na questão dos preços das tarifas, na verificação da qualidade do serviço prestado, no cumprimento de metas, encargos e obrigações, previstos no edital e nos contratos”.
Caixa-preta
Em outro trecho, Moreira é direto: “Considero que não é admissível haver caixa-preta, quando se trata de concessão de serviço público.”
Janeiro
O aumento das tarifas está previsto para janeiro".
Foto: O Dia

MISCELÂNEA: HOMICÍDIOS, ALERJ, PMERJ, PCERJ, PROCON, PAC e RODOVIÁRIA



1) Deputados dá ALERJ concederão aumento de 86% para os seus chefes de gabinete. O salário ultrapassará R$ 16.000,00 (Fonte: O Dia).
2) Beltrame ainda não se manifestou para decidir. A Polícia Civil não atendeu à solicitação da Polícia Militar que instaurou Inquérito Policial Militar para apurar morte de recruta no CFAP e está dando continuidade ao Inquérito Policial. O delegado responsável vai inquirir novamente os Oficiais envolvidos no fato (Fonte: Jornal Extra).
3) Na Zona Sul, fiscais do Procon do Rio multaram, ontem, 21 estabelecimentos no Shopping Leblon devido a irregularidades na vendas de Natal (Fonte: O Dia).
4) Presidente da ALERJ mandou o secretário estadual Zaqueu Teixeira devolver o veículo da assembléia legislativa que continua usando embora seja secretário do governo Cabral.
5) As obras do PAC voltadas para o saneamento estão atrasadas na Região Metropolitana e agrava a situação em municípios da região (Fonte: O São Gonçalo).
6)Sem UPPs São Paulo reduz os homicídios em 66,6%. O Rio com UPPs. usando mais de 9.000 PMs, reduziu em 35,4% (Fonte: O Globo).
7) Prefeito Eduardo Paes desiste de construir uma rodoviária em São Cristóvão (Fonte: O Globo).

AS FESTAS DE SÉRGIO CABRAL E O NATAL DOS SOBREVIVENTES DO MORRO DO BUMBA



"Tudo isso posto, é justo perguntar o que de tão mal fizeram os moradores do Bumba para justificar tamanha privação".
O questionamento inserido no editorial do jornal O Dia publicado nessa sexta-feira, merece uma resposta imediata dos governos estadual e municipal. 
Enquanto o governo Sérgio Cabral faz festa para comemorar os cinco anos de implantação das UPPs, inclusive com a realização de baile de debutantes. os sobreviventes da tragédia do Morro do Bumba não têm nada para comemorar após três anos e meio da tragédia que ceifou centenas de vítimas.
Os prédios que estão sendo construídos para as famílias que perderam tudo estão se deteriorando, dois deles tiveram que ser derrubados, jogando no lixo o dinheiro público, o nosso dinheiro.
O tráfico de drogas continua presente, aterrorizando a vida dos moradores do "novo Bumba".
O descaso governamental está impondo mais sofrimento a seres humanos, cidadãos fluminenses, que já sofreram tanto e que nada terão para comemorar no Natal que se aproxima.
Cabral festeja as UPPs, comemorará o Natal em festa e eles continuam sofrendo.
Eu apoio a luta dos sobreviventes do Morro do Bumba.

VEREADOR MÁRCIO GARCIA - BOLETIM INFORMATIVO



UPP - A NECESSIDADE DE MUDAR A POSTURA



O governo estadual instalou dezenas de Unidades de Polícia Pacificadora no município do Rio de Janeiro, onde trabalham atualmente mais de 9.000 Policiais Militares, sendo o principal projeto da administração Sérgio Cabral. A presença da Polícia Militar em comunidades carentes é fundamental para que a vida da população dos morros fique livre do domínio de traficantes de drogas. Portanto, o projeto tem um aspecto positivo que deve ser valorizado.
Infelizmente, após cinco anos de implantação, o projeto se assemelha a instalação de um  "Estado Policial", onde apenas a polícia se faz presente, regulando a vida nas comunidades, sem que seja feito o aporte de outros serviços públicos essenciais, isso é o que ocorre na maioria das comunidades onde foi implantado.
Além disso, reforçando a existência de um "Estado Policial", nos últimos meses tem se multiplicando as denúncias de moradores contra a forma de ação dos  Policiais Militares.
Sem ter como avaliar se o treinamento policial tem sido suficiente para criar uma nova postura na relação com os moradores, assim como, não temos como medir se os moradores já conseguiram ver a presença policial com outros olhos, o certo é que os conflitos estão ocorrendo com muita frequência gerando vítimas, inclusive fatais. Isso sem falar nos confrontos armados com os traficantes de drogas que continuam atuando nas comunidades pacificadas.
É hora de reavaliar o projeto e identificar o que foi feito de certo e de errado, para as necessárias correções que levem a uma interação entre comunidade e polícia, caso contrário o projeto seguirá não conseguindo cumprir seus objetivos básicos.
Conheça o conteúdo de uma entrevista com um morador que alega ter sido abordado e ter a sua casa invadida por Policiais Militares sem as formalidades legais,  isso na comunidade da Rocinha, ainda abalada com o desaparecimento do morador Amarildo.
O Globo
oglobo.globo.com
20/12/2013
 ‘O fato é que, infelizmente, a truculência policial continua’
Líder comunitário da Rocinha fala sobre ações da PM na região
O líder comunitário da Rocinha Carlos Eduardo Barbosa, o Duda, foi quem denunciou, ao governo estadual e ao Ministério Público, as torturas ocorridas durante a Operação Paz Armada, que culminou com a morte de Amarildo de Souza. Leia a entrevista completa abaixo.
Como está a situação hoje na Rocinha?
Antes da invasão da minha casa (no dia 13), o morador Ricardo Alves foi agredido quando saía para trabalhar. Policiais da UPP tentaram arrastá-lo para dentro de um beco escuro e só não conseguiram porque uma vizinha começou a gritar que ele é trabalhador. Assustado, ele registrou queixa na 15ª DP (Gávea). O fato é que, infelizmente, a truculência policial continua.
Como a polícia chegou a você?
Eu estava sentado na varanda da minha casa, no segundo andar, quando eles entraram pelo beco gritando palavrões e me mandando sair de casa.
Quantos eram?
Eram pelo menos uns dez, e a maioria não tinha identificação. Um deles, um gordinho, calvo e moreno, era quem dava as ordens. Deve ser o mais graduado. Estavam todos muito nervosos. Gritavam que estavam me reconhecendo, que eu tinha trocado tiros com eles, e perguntavam pela pistola. Tentei acalmá-los e desci com as mãos para cima.
Eles pediram sua identificação?
Antes me mandaram deitar no chão e invadiram minha casa. Apontaram o fuzil para o rosto da minha filha e a mandaram sair de casa. Minha mulher estava saindo do banheiro, e eles também gritaram com ela. Quando vi as duas saindo chorando, fiquei muito preocupado com o que poderia acontecer . Eles sabiam que você é líder comunitário?
Não sei, mas, quando perguntei a eles se tinham um mandado de busca, debocharam da minha cara, me chamando de intelectual, de sabichão.
Depois da revista, eles não tentaram se desculpar com você?
Não, agiram como se isso fosse normal. Enquanto um deles examinava meus documentos, os outros botavam o maior terror. Depois, simplesmente viraram as costas e foram embora. Só um soldado, que ficou para trás, me pediu desculpa, dizendo que não era nada comigo. Assim que saíram, procurei a ouvidoria e depois decidi registrar queixa.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

PAGAMENTO DA SEGUNDA PARCELA DO 13o SALÁRIO



O governo estadual anunciou para hoje o pagamento da segunda parcela do décimo-terceiro salário para os servidores que recebem mais de R$ 950,00 por mês.
Hora de ir ao banco e pagar as contas.

SEGURANÇA: DESGASTE ENTRE COMANDANTE DA PM E CHEFE DA PC



Um novo problema na área da segurança pública do governo Sérgio Cabral se torna de conhecimento público: um atrito entre o Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel PM José Luiz Castro e a Chefe da Polícia Civil, delegada Martha Rocha.
Tudo terá que ser decidido pelo secretário Beltrame.
O motivo foi um ofício enviado pelo Comandante Geral solicitando a interrupção temporária do Inquérito Policial (IP) instaurado na 33a DP para investigar a morte de um recruta, ocorrida recentemente dentro do CFAP, após um treinamento físico.
A Chefe da Polícia Civil respondeu que os delegados cumprem a lei e disse que o IP irá prosseguir.
O jornal Extra publicou o caso nessa quinta feira:
"Mal-estar na segurança
Comandante da PM quis parar investigação de morte no CFAP (Leia a matéria)".
Na verdade, o Comandante Geral alegou que em razão do fato apresentar indícios de crime militar, tendo ocorrido em área militar e envolvendo apenas militares, a apuração deve ser feita através de um Inquérito Policial Militar (IPM), o que está acontecendo. 
A alegação está baseada na competência para investigar.
Em apertada síntese, a Polícia Civil não tem competência para apurar crimes militares, mas no caso está tratando a investigação como indícios de tortura, crime de competência da justiça comum (Lei 9.455/97).
De modo algum o Comandante Geral quis parar a investigação, nem pode, os autos do IPM são obrigatoriamente encaminhados ao Ministério Público e ao Poder Judiciário.
Cabe ao secretário de segurança, Delegado da Polícia Federal Beltrame, decidir se teremos duas investigações ou se determinará a Chefe da Polícia Civil que interrompa o IP.

SOBREVIVENTES DO MORRO DO BUMBA: MEDO DE NOVA TRAGÉDIA



Quem não lembra da tragédia do Morro do Bumba, localizado no município de Niterói, ocorrida em 2010 e que causou a morte de centenas de pessoas devido ao soterramento e que destruiu o patrimônio de inúmeras famílias que perderam absolutamente tudo o que possuíam?
Se não bastasse a dor pela perda de familiares e de amigos e a perda de todo patrimônio, os sobreviventes do Morro do Bumba têm enfrentado uma série de dificuldade ao longo do governo Sérgio Cabral, enquanto aguardam a construção de moradias populares que serão destinadas às famílias.
Diante desse quadro de desespero, o medo voltou a fazer parte da vida dos sobreviventes, considerando que os prédios que estão sendo construídos para atendê-los estão apresentando rachaduras, inclusive dois deles tiveram que ser demolidos.
Cidadão, imagine quanto do dinheiro público foi transformado em pó com a construção e a demolição de dois prédios de cinco andares contendo vários apartamentos.
Quem vai pagar por esse erro?
Isso está sendo investigado?
É um sofrimento que parece não ter fim.
Isso sem falar na convivência forçada com o tráfico de drogas.
Eu apoio a luta dos sobreviventes do Morro do Bumba.
Leia e conheça a volta do medo:
"JORNAL O DIA
19 de dezembro de 2013
Medo de nova tragédia ainda assombra o Morro do Bumba
Prédios erguidos após deslizamento que matou 267 pessoas em 2010 já têm rachaduras
GABRIEL SABÓIA
Rio - Para quem sobreviveu às chuvas e deslizamentos de encostas em Niterói, não basta a dor causada pela perda de parentes ou por ver todo seu patrimônio soterrado. Mesmo depois de reassentados, sobreviventes da tragédia do Morro do Bumba, que matou 267 pessoas em abril de 2010, ainda sofrem os horrores de viver em situação de risco no conjunto habitacional Viçoso Jardim. Inaugurado em janeiro para abrigar 147 famílias vitimadas, o condomínio abriga 600 moradores em 180 apartamentos. Destes, pelo menos 20 já apresentam rachaduras e infiltrações.
Pelas vielas formadas nos espaços entre os nove blocos, espalha-se outro temor dos tempos do morro: o tráfico remanescente no Bumba age livremente, implantando “gatos” de energia e TV a cabo. Nas janelas e fachadas dos prédios, pode-se ver marcas de disparos. “O que fazer?”, lamenta um morador. Embora os engenheiros da Defesa Civil indiquem que as fissuras nas paredes “são fruto da acomodação natural dos imóveis” e não apontem iminência de queda dos edifícios, a rápida deterioração das construções causa outros percalços (Leia mais)". 
Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia

CORONEL DO CORPO DE BOMBEIROS É CONDENADO



O jornal O Dia publicou nessa quinta-feira o artigo que transcrevo a seguir que trata da condenação de um Coronel do Corpo de Bombeiros pela prática do crime de peculato, em razão de ter usado de forma ilegal uma viatura da corporação. Ele tinha sido absolvido na Justiça Militar.
Lembro que esse fato trazia grande revolta para a tropa do CBMERJ, tendo em vista que 439 Bombeiros Militares tinham sido autuados, presos e encarcerados em condições sub-humanas pelo fato de estarem lutando por melhores salários.
Ouvi nas ruas durante os atos e li nos blogs muitas vezes essa insatisfação sendo externada.
Tal situação era tratada como mais um fator de diferenciação entre o tratamento que o Corpo de Bombeiros dava aos Oficiais e aos Praças, algo inaceitável, pois as leis e os regulamentos devem ser aplicados sem distinção. Inclusive, em alguns casos, o fato do autor ser Oficial funciona como agravante. Sem querer festejar a condenação de qualquer pessoa, a decisão do poder judiciário fortalecerá na tropa do CBMERJ a lição de que "todos são iguais perante a lei".
JORNAL O DIA 
18/12/2013
Justiça condena coronel que foi a motel num carro oficial Oficial bombeiro flagrado com uma adolescente de 13 anos é acusado também de pedofilia 
FLAVIO ARAÚJO 
Rio - O coronel e ex-corregedor do Corpo de Bombeiros Adilson de Oliveira Perinei, de 56 anos, foi condenado a três anos de prisão, em regime aberto, por peculato (apropriar-se de bem público) pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Perinei foi preso em 2010 em um motel na Rodovia Presidente Dutra em companhia de uma adolescente de 13 anos. Como ele estava com o carro dos bombeiros e usava a gasolina do quartel, foi enquadrado no peculato. 
O coronel chegou a ser preso em flagrante na ocasião por pedofilia e foi acusado de aliciar e manter relações sexuais com meninas menores. Ele respondeu também à acusação de filmar e fotografar os atos. Em um pen drive encontrado com o bombeiro, havia dezenas de fotos de jovens, adolescentes e até crianças, em poses e situações eróticas. 
Na sentença, o desembargador Antônio Jayme Boente alegou que o coronel “apropriou-se e desviou de sua regular finalidade bem móvel público de que tinha a posse em razão do cargo, consistente na viatura oficial V1 088, dirigida por bombeiro militar, utilizando-a – assim como o respectivo combustível – para fins particulares, pois deixou o seu local de serviço para encaminhar-se a um motel, onde foi surpreendido por policiais civis na companhia de uma menor”. 
Julgado antes pelo Conselho Especial de Justiça do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, o coronel Adilson foi absolvido por unanimidade. Na época da prisão, a Polícia Civil informou que o coronel era alvo de investigação por pedofilia havia dois meses, depois que denúncias anônimas contra ele chegaram ao conhecimento da polícia. Uma das vítimas dele, de 18 anos, reconheceu fotos suas nua, quando tinha 13 anos, no pen drive.
Desembargador desqualifica a decisão anterior de conselho militar
A absolvição do coronel Adilson de Oliveira Perinei na Justiça Militar foi ironizada pelo relator do acórdão do TJ. Segundo escreveu Antônio Jayme Boente, ‘a decisão majoritária do Conselho carece de qualquer fundamento técnico... o fato de estar a viatura à disposição do oficial absolutamente não o autorizaria a utilizá-la para outros fins... que não... o serviço, sendo risível a adoção do argumento para justificar suas visitas clandestinas a um motel na companhia de prostitutas, dentre as quais se contava uma menor de idade’

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

POPULAÇÃO VENCEU BELTRAME E CONSEGUIU POLICIAMENTO


Cidadão fluminense, não é mais segredo para ninguém, embora tenha sido por muito tempo omitido das páginas da imprensa, que a ocupação de comunidades carentes, sem a prisão dos criminosos que atuavam nessas comunidades, acabou gerando a migração dos criminosos para outras regiões.
Ao longo do tempo a situação foi se agravando. O governo Cabral seguia ocupando comunidades sem prender os traficantes e sem aprender suas armas. Locais antes tranquilos, começaram a ficar inseguros. Fuzis começaram a ser vistos, onde nunca tinham aparecido.
Primeiro, a população começou a reclamar usando as redes sociais, espalhando que estavam herdando insegurança. A pressão acabou chegando aos gabinetes políticos, o que fez com que alguns prefeitos reclamassem publicamente da migração de criminosos e da falta de efetivos nos batalhões responsáveis pelo policiamento no município.
O esforço da população e dos políticos venceu a intransigência do governo Cabral, o que fez com que o secretário Beltrame, mesmo negando a migração, anunciasse nesta quarta-feira o reforço de policiamento na Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo.
Diante dessa insegurança, o governador que não é bobo, continua circulando pelo Rio de Janeiro em helicópteros
JORNAL O DIA
Baixada e São Gonçalo receberão 10 companhias destacadas da PM, anuncia Beltrame
"Não estamos fazendo isso em função da migração (de bandidos), mas sim pela reincidência criminal', disse o secretário de Segurança
FELIPE FREIRE
Rio - O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse nesta quarta-feira que a Baixada Fluminense vai receber sete Companhias Destacadas de Polícia Militar. De acordo com ele, o município de São Gonçalo, na Região Metropolitana, ganhará três companhias. A informação foi dada durante encontro com prefeitos da Baixada Fluminense no Comando Geral PM.
"Não estamos fazendo isso em função da migração (de bandidos) mas sim pela reincidência criminal. Chegou a vez da Baixada e de São Gonçalo receberem atenção especial. Se for preciso, serão realizadas alterações no decorrer do percurso", disse o secretário.
Segundo Beltrame, a Baixada terá o efetivo ampliado em 450 policiais civis. Ainda de cacordo com ele, o município de Belford Roxo terá uma Delegacia de Homicídios para atender a região (Fonte).
Foto: UOL notícias.

MISCELÂNEA: FILHO DO GOVERNADOR, CARLOS MINC, CHAPADÃO, UPP e MARICÁ.


1) A Polícia Militar anunciou a ocupação da comunidade do Chapadão com 60 PMs (Fonte: Povo do Rio). Considerando as escalas implantadas na PMERJ de 12 x 24 horas + 12 x 48 horas (o equivalente à 24 horas de trabalho com 72 horas de folga), o efetivo por turno será de 15 PMs.
Se a escala for de 24 x 48 horas. O efetivo por turno será de 20 PMs.
Será que 15 ou 20 PMs são suficientes para policiar a região?
Com a palavra o governador Sérgio Cabral e os secretário de segurança Beltrame.

2) A ideia até foi boa, vestir um PM de Papai Noel, mas usando a cor azul, para aproximar a corporação dos moradores das comunidades ocupadas por UPP. Todavia, escolher dois PMs entre os mais baixos para o papel de gnomos, não pegou bem. Os próprios PMs não resistiram ao quadro hilário. Um dos gnomos já foi Príncipe em um baile de debutantes realizado também em comunidade pacificada (Fone: Folha de São Paulo).

3) Em face da insegurança reinante no município, a população de Maricá quer seu próprio batalhão da Polícia Militar. O 12o BPM situado em Niterói é o atual responsável pelo policiamento (Fonte: A Tribuna - Niterói).

4) O TRE multou o filho do governador Sérgio Cabral por propaganda ilegal e determinou que retirasse o seu facebook do ar (Fonte: Povo do Rio).

5) O secretário estadual de ambiente do governo Sérgio Cabral, o senhor Carlos Minc, foi desmascarado pela Bandnews. Em 2012, ele prometeu no CQC que a Praia de São Conrado estaria saneada esse mês. Promessa gravada e não cumprida (Fonte: Povo do Rio).

GOVERNO CABRAL: SÉRGIO CÔRTES É CONDENADO POR DESVIAR VERBAS DA SAÚDE PÚBLICA



O caos da saúde pública no Brasil tem sido alvo de incontáveis reportagens da imprensa nos últimos anos. várias delas inclusive sobre a saúde pública no estado e no município do Rio de Janeiro. Seres humanos no chão ou jogados em macas aguardando atendimento médico, sendo que muitos morrem sem receberem o tratamento necessário, sobretudo pela falta de recursos humanos e materiais.
Diante desse quadro que mais parece um filme de terror, o secretário estadual de saúde do governo Sérgio Cabral é condenado por desviar verbas da saúde para propaganda.
Ele fez parte do grupo que acompanhou o governador Cabral em uma viagem, quando usaram guardanapos na cabeça enquanto festejam.
Talvez o motivo de tanta alegria tenha sido esclarecido.
É o fim do mundo, o completo desprezo pela vida humana.
JORNAL EXTRA 
18/12/2013 06:00:29
Sérgio Côrtes é condenado por desviar verba da saúde para propaganda 
O secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, e o subsecretário de Comunicação Social, Ricardo Luiz Rocha Cota, foram condenados no último dia 5 pela Justiça do Rio por terem aplicado em propaganda 
Extra 
oglobo.globo.com 
O secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, e o subsecretário de Comunicação Social, Ricardo Luiz Rocha Cota, foram condenados no último dia 5 pela Justiça do Rio por terem aplicado em propaganda verbas destinadas à saúde. Também este mês, Côrtes sofreu outro revés: uma auditoria do Ministério da Saúde concluiu que ele é o “responsável direto” pela assinatura de um contrato superfaturado para o fornecimento de refeições para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), em 2006, quando Côrtes dirigia a instituição. Ontem, após ser procurado pelo EXTRA, o secretário negou as acusações e anunciou que deixará o governo Cabral no próximo dia 31 de dezembro. Planeja mudar-se para os Estados Unidos, para estudar na Universidade Harvard, em Boston.
No primeiro caso, Côrtes e Cota foram condenados como réus solidários, em uma ação popular movida contra o governo do estado pelo presidente do Sindicato dos Médicos do Rio, Jorge Darze, por lesarem os cofres estaduais e “a vida e a saúde dos cidadãos do Estado do Rio”.
Em 2009, foram publicadas no Diário Oficial duas resoluções conjuntas que transferiram um total de R$ 10.157.500 do Fundo Estadual de Saúde para a Subsecretaria de Comunicação Social da Casa Civil. A sentença da juíza da 8ª Vara de Fazenda Pública, Simone Lopes da Costa, anula as duas resoluções e determina que o governo do estado devolva o dinheiro da Subsecretaria de Comunicação Social para a Secretaria de Saúde, acrescido de 1% ao mês e correção monetária.
Côrtes e Cota deverão dividir com o estado o pagamento de um valor pelas perdas e danos que causaram - o montante ainda será fixado -, além das custas processuais da ação que os condenou por terem empregado verba destinada à saúde em propaganda institucional.
Já o segundo caso antecede a entrada de Côrtes na secretaria de Cabral. No começo deste ano, após a Controladoria Geral da União encontrar irregularidades em contratos de hospitais federais do Rio com empresas terceirizadas, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, determinou uma auditoria em um contrato do Into com a empresa Padre da Possa Restaurante Ltda. Esta investigação concluiu agora que Côrtes foi o responsável pelo prejuízo de R$ 3.430.718,47 em 2006. O ministério determinou que o dinheiro seja devolvido.
Segundo o relatório da auditoria, a que o EXTRA teve acesso, o contrato foi superfaturado. Cada garrafa de 600 ml de água, por exemplo, custou até R$ 2,46 ao Into. Em compras feitas por outros hospitais, o valor foi R$ 0,72.
Dinheiro poderia ter pago três UPAs
Com os R$ 10 milhões desviados para propaganda, a Secretaria de Saúde poderia ter financiado 368 cirurgias de transplante de rim, comprado 106 ambulâncias cegonhas ou construído e equipado três UPAs com capacidade para 300 atendimentos ao dia.
A Procuradoria Geral do Estado, que defende também os dois secretários, entrou com recurso contra a condenação. Segundo o órgão, o governo apresentou, à época, sua defesa. Para a juíza Simone Lopes da Costa, no entanto, os recursos descentralizados da saúde não se prestaram nem a recuperação e manutenção dos hospitais e melhorias no sistema de atendimento aos pacientes dos postos de saúde - como alegou o estado - nem a eventos e divulgação de temas relacionados à saúde - como justificou Côrtes.
Segundo a sentença, os contratos assinados pela Subsecretaria de Comunicação Social tiveram como objeto a propaganda do governo, além do pagamento do serviço de assessoria de imprensa. A decisão conclui que houve lesão ao patrimônio público.
“Ainda que a verba não fosse vinculada, configuraria desvio de finalidade utilizar tal verba com publicidade em detrimento do serviço direto de saúde, diante do sem número de ações de improbidade, questionando a ausência de leitos, tratamentos hospitalares, dentre outros, sem mencionar as ações distribuídas por particulares que visam a obtenção de medicamentos”, afirma a juíza, na sentença. Outros dirigentes.
A auditoria do Ministério da Saúde também apontou como responsáveis pelo prejuízo no Into outros três ex-diretores da instituição. As defesas dos quatro não foram aceitas pelos auditores. O EXTRA não conseguiu contato com os responsáveis pela empresa Padre da Posse.
Côrtes se defende
A assessoria de imprensa do secretário afirmou ontem, por nota, que ele vai “apresentar sua defesa”. “O procedimento licitatório foi feito dentro da regularidade, estando o preço global dentro dos padrões. Ao assinar o contrato, o secretário se baseou em parecer da comissão de licitação do Into, que afirmava a regularidade e que a contratação era vantajosa ao poder público”, diz a nota. Segundo a assessoria, Côrtes também pretende estudar no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).